Jeane Alves

Jeane Alves
Vitória de G 1 com Equitana

sábado, 6 de agosto de 2011

Emma Pebbels Körner

Morre em SP o reprodutor Hibernian Rhapsody
06/08/2011 - 12h52min


Morreu esta semana, aos 16 anos, no Haras São Quirino, estado de São Paulo, o reprodutor irlandês HIBERNIAN RHAPSODY.

A campanha de HIBERNIAN RHAPSODY, que teve início e seqüência nos EUA, aponta para 4 vitórias em 16 atuações. Entre as suas vitórias, destaca-se o Tropical Turf H. (Gr.III), e segundo no Appleton H. (gr.II) e no Bouganvillea H. (Gr.II). Em prêmios, somou US$ 188,600.

HIBERNIAN RHAPSODY, filho de Darshaan e Elegance in Design (Habitat), criado pela Moyglare Stud, é pai do craque Dono da Raia, Hong Kong, Italiano Fighter, Irmãozinho, Documento Fiscal, Yes Pedroca, entre outros.

por Rodrigo Pereira

APPS: Leilão de potros do GP Brasil tem bom movimento

Mais um leilão de potros realizado na semana do GP Brasil, apresentou um crescimento em relação ao ano passado. 60 produtos de diversos criadores movimentaram R$ 900.750,00 com um preço médio de R$ 17.322,00 o que corresponde a 25% a mais que o obtido no correspondente ao do ano passado. Portanto os dois leilões de potros realizados nesta semana apresentaram médias crescentes.

No leilão de ontem, o mais alto preço coube ao potro NN (Kalinda Beach) um filho de Amigoni de criação do Haras Guayçara, que foi arrematado por R$ 57.000,00

Fonte: APPS

Gávea, Tabela de Distancias Setembro/2011

TABELA DE DISTÂNCIA
Setembro DE 2011
Temporada 2011/2012
03 ,04 09, 10 16, 17 23,24
05,07 11, 12 18,19 25,26
6 ANOS E MAIS
601) PRODUTOS SEM VITÓRIA 1.100 1.300 1.200 1.100
602) PRODUTOS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.100 1.300 1.200 1.100
603) PRODUTOS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.400 1.600 1.500 1.400
604) PRODUTOS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.100
605) PRODUTOS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.400 1.600 1.500 1.400
606) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.100
607) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.400 1.600 1.500 1.400
608) PRODUTOS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.100
609) PRODUTOS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 1.400 1.600 1.500 1.400
610) PRODUTOS S/MAIS DE 5 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.100
611) PRODUTOS S/MAIS DE 5 VITÓRIAS 1.400 1.600 1.500 1.400
612) PRODUTOS COM ATÉ 8 VITÓRIAS 1.400 1.300 1.200 1.400
HANDICAP
801) PRODUTOS DE 3 ANOS E MAIS 2.000 1.600 --- 2.400
802) ÉGUAS DE 3 ANOS E MAIS 2.000 1.600 --- 2.400
PESOS ESPECIAIS
701) PRODUTOS DE 3 ANOS E MAIS 1.000 1.200 1.500 1.100
702) ÉGUAS DE 3 ANOS E MAIS 1.000 1.200 1.500 1.100
703) PRODUTOS DE 3 ANOS E MAIS 1.400 1.300 1.900 1.300
704) ÉGUAS DE 3 ANOS E MAIS 1.400 1.300 1.900 1.300
CLAIMING
CATEGORIA “C”(R$ 5.500,00) 1.300 1.400 1.100 1.500
PRODUTOS DE 3 ANOS SEM VITÓRIA
CATEGORIA “D”(R$ 5.500,00) 1.300 1.400 1.100 1.500
POTRANCAS DE 3 ANOS SEM VITÓRIA
CATEGORIA “E”(R$ 5.500,00) 1.200 --- 1.400 1.300
PRODUTOS DE 3 ANOS S/MAIS DE 1 VIT.
CATEGORIA “F”(R$ 5.500,00) 1.200 --- 1.400 1.300
POTRANCAS DE 3 ANOS S/MAIS DE 1 VIT.
CATEGORIA “G”(R$ 4.400,00) 1.500 1.400 1.300 1.100
PRODUTOS DE 4 ANOS SEM VITÓRIA
CATEGORIA “H”(R$ 4.400,00) 1.500 1.400 1.300 1.100
ÉGUAS DE 4 ANOS SEM VITÓRIA
CATEGORIA “I”(R$ 4.400,00) 1.400 1.100 1.500 1.400
PRODUTOS DE 4 ANOS S/MAIS DE 1 VIT.
CATEGORIA “J”(R$ 4.400,00) 1.400 1.100 1.500 1.400
ÉGUAS DE 4 ANOS S/MAIS DE 1 VIT.
CATEGORIA “K”(R$ 4.400,00) 1.400 1.600 1.200 ---
PRODUTOS DE 4 ANOS E MAIS IDADE
CATEGORIA “L”(R$ 4.400,00) 1.400 1.600 1.200 ---
ÉGUAS DE 4 ANOS E MAIS IDADE
CATEGORIA “M”(R$ 3.800,00) 1.300 1.100 1.500 1.200
PRODUTOS DE 5 ANOS E MAIS IDADE
CATEGORIA “R”(R$ 3.000,00) --- 1.100 1.400 ---
PRODUTOS DE 5 ANOS E MAIS IDADE S/MAIS DE 1 VIT.
CATEGORIA “S”(R$ 3.000,00) --- 1.100 1.400 ---
ÉGUAS DE 5 ANOS E MAIS IDADE S/MAIS DE 1 VIT.
CATEGORIA “K1”(R$ 8.500,00) 1.400 1.100 1.500 1.300
PRODUTOS DE 4 ANOS E MAIS IDADE
CATEGORIA “L1”(R$ 8.500,00) 1.400 1.100 1.500 1.300
ÉGUAS DE 4 ANOS E MAIS IDADE
3 ANOS
301) PRODUTOS SEM VITÓRIA 1.200 1.100 1.000 1.300
302) POTRANCAS SEM VITÓRIA 1.200 1.100 1.000 1.300
303) PRODUTOS SEM VITÓRIA 1.600 1.300 1.400 1.500
304) POTRANCAS SEM VITÓRIA 1.600 1.300 1.400 1.500
305) PRODUTOS SEM VITÓRIA 2.100 2.000 1.900 2.400
306) POTRANCAS SEM VITÓRIA 2.100 2.000 1.900 2.400
307) PRODUTOS SEM MAIS DE 1 VITÓRIA 1.000 1.300 1.100 1.200
308) POTRANCAS SEM MAIS DE 1 VITÓRIA 1.000 1.300 1.100 1.200
309) PRODUTOS SEM MAIS DE 1 VITÓRIA 1.400 1.600 1.400 1.600
310) POTRANCAS SEM MAIS DE 1 VITÓRIA 1.400 1.600 1.400 1.600
311) PRODUTOS SEM MAIS DE 1 VITÓRIA 2.000 1.900 2.400 2.100
312) POTRANCAS SEM MAIS DE 1 VITÓRIA 2.000 1.900 2.400 2.100
313) PRODUTOS S/ MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.000 1.300 1.400 1.200
314) POTRANCAS S/ MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.000 1.300 1.400 1.200
4 ANOS
401) PRODUTOS SEM VITÓRIA 1.200 1.000 1.100 1.300
402) POTRANCAS SEM VITÓRIA 1.200 1.000 1.100 1.300
403) PRODUTOS SEM VITÓRIA 1.600 1.500 1.400 1.600
404) POTRANCAS SEM VITÓRIA 1.600 1.500 1.400 1.600
405) PRODUTOS SEM VITÓRIA 2.100 2.400 1.900 2.000
406) POTRANCAS SEM VITÓRIA 2.100 2.400 1.900 2.000
407) PRODUTOS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.200 1.000 1.100 1.300
408) POTRANCAS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.200 1.000 1.100 1.300
409) PRODUTOS S/ MAIS DE 1 VITÓRIA 1.600 1.500 1.400 1.600
410) POTRANCAS S/ MAIS DE 1 VITÓRIA 1.600 1.500 1.400 1.600
411) PRODUTOS S/ MAIS DE 1 VITÓRIA 2.100 2.400 1.900 2.000
412) POTRANCAS S/ MAIS DE 1 VITÓRIA 2.100 2.400 1.900 2.000
413) PRODUTOS S/ MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.200 1.000 1.100 1.300
414) ÉGUAS S/ MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.200 1.000 1.100 1.300
415) PRODUTOS S/ MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.600 1.500 1.400 1.600
416) ÉGUAS S/ MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.600 1.500 1.400 1.600
417) PRODUTOS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
418) ÉGUAS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
419) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.200 1.000 1.100 1.300
420) ÉGUAS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.200 1.000 1.100 1.300
421) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.600 1.500 1.400 1.600
422) ÉGUAS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.600 1.500 1.400 1.600
423) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
424) ÉGUAS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
5 ANOS E MAIS
501) PRODUTOS SEM VITÓRIA 1.100 1.300 1.200 1.000
502) ÉGUAS SEM VITÓRIA 1.100 1.300 1.200 1.000
503) PRODUTOS SEM VITÓRIA 1.400 1.500 1.600 1.400
504) ÉGUAS SEM VITÓRIA 1.400 1.500 1.600 1.400
505) PRODUTOS SEM VITÓRIA 2.100 2.000 1.900 2.400
506) ÉGUAS SEM VITÓRIA 2.100 2.000 1.900 2.400
507) PRODUTOS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.100 1.300 1.200 1.000
508) ÉGUAS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.100 1.300 1.200 1.000
509) PRODUTOS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.400 1.500 1.600 1.400
510) ÉGUAS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 1.400 1.500 1.600 1.400
511) PRODUTOS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 2.100 2.000 1.900 2.400
512) ÉGUAS S/MAIS DE 1 VITÓRIA 2.100 2.000 1.900 2.400
513) PRODUTOS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.000
514) ÉGUAS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.000
515) PRODUTOS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.400 1.500 1.600 1.400
516) ÉGUAS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 1.400 1.500 1.600 1.400
517) PRODUTOS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 2.100 2.000 1.900 2.400
518) ÉGUAS S/MAIS DE 2 VITÓRIAS 2.100 2.000 1.900 2.400
519) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.000
520) ÉGUAS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.000
521) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.400 1.500 1.600 1.400
522) ÉGUAS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 1.400 1.500 1.600 1.400
523) PRODUTOS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
524) ÉGUAS S/MAIS DE 3 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
525) PRODUTOS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.000
526) ÉGUAS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 1.100 1.300 1.200 1.000
527) PRODUTOS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 1.400 1.500 1.600 1.400
528) ÉGUAS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 1.400 1.500 1.600 1.400
529) PRODUTOS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
530) ÉGUAS S/MAIS DE 4 VITÓRIAS 2.100 2.400 1.900 2.000
05 ,06 12, 13 19, 20 26,27
07,08 14, 15 21, 22 28,29
03 ,04 09, 10 16, 17 23,24
05,07 11, 12 18,19 25,26
TABELAS DE PESOS
TABELA I
2 Anos........................................................................................55Kg
3 Anos ............................................................................ 56Kg
4 Anos ............................................................................ 57Kg
5 Anos e mais idade ...................................................... 58Kg
TABELA DE PESOS ESPECIAIS
(701, 702, 703 E 704)
3 Anos 4 Anos 5 Anos 6 Anos e mais
Vits. Pesos Vits. Pesos Vits. Pesos Vits. Pesos
Até 2 52 Até 3 52 Até 4 52 Até 5 52
3 e mais 55 " 5 55 " 6 55 " 7 55
6 e mais 58 7 e mais 58 8 e mais 58
Os ganhadores de Prova de Grupo I terão uma sobrecarga
não cumulativa de 6 quilos, de Grupo II, 5 quilos, de Grupo
III, 4 quilos, de Clássicos, 3 quilos e de Prova Especial, 2
quilos, desde 01/09/10. Para os ganhadores de Pesos Especiais,
haverá uma sobrecarga cumulativa de 1 quilo por
vitória, desde 01/06/11.
Na hipótese de o maior peso não atingir a 58 quilos,
os pesos se elevarão com as mesmas diferenças até
que o maior deles alcance este limite.
TABELA II - SETEMBRO E OUTUBRO
Até 1.300 metros inclusive Até 1.600 metros inclusive
2 anos - -
3 anos 54 53
4 anos 60 60
5 anos e mais idade 60 60
Até 2.000 metros inclusive Até 2.500 metros inclusive
3 anos 52 51
4 anos 59 59
5 anos e mais idade 59 59
Acima de 2.500 metros
3 anos 50
4 anos 58
5 anos e mais idade 58
Obs: 1) As éguas terão uma descarga de 2 (dois) quilos quando
competirem com os cavalos.
DIA 03 - Grande Prêmio José Carlos e João José de Figueiredo
(Grupo III) - 1 mil 600 metros (grama) - Produtos de 3 anos e
mais idade. Pesos da Tabela II.
DIA 04 - Grande Prêmio Carlos Telles e Carlos Gilberto da Rocha
Faria (Grupo II) - 2 mil metros (grama) - Potrancas de 3 anos.
Pesos da Tabela I.
DIA 07 - Prova Especial Independência - 1 mil 400 metros (grama)
- Éguas de 3 anos e mais idade sem vitória em prova de Grupo
ou Clássico desde 1 de setembro de 2010. Pesos da Tabela II,
com descarga de dois quilos para as sem colocação em Prova
Especial desde 1 de setembro de 2010.
DIA 07 - Grande Prêmio Professor Nova Monteiro (Grupo III) - 2
mil 100 metros (areia) - Produtos de 3 anos e mais idade. Pesos
da Tabela II.
DIA 10 - Clássico Sandpit (L.) - 2 mil metros (grama) - Produtos
de 3 anos. Pesos da Tabela I, com descarga de dois quilos para
os sem colocação em Clássico e de três quilos para os sem
colocação em Prova Especial.
DIA 11 - Grande Prêmio Doutor Frontin (Grupo II) - Primeira etapa
da Copa de Ouro - Caliente - 2 mil 400 metros (grama). Produtos
de 4 anos e mais idade. Pesos da Tabela II.
DIA 17 - Copa Leilões Jockey Club Brasileiro Versão Potrancas
- 1 mil 600 metros (grama). Pesos da Tabela I. Regulamento
Próprio.
DIA 17 - Copa Leilões Jockey Club Brasileiro Versão Potros - 1
mil 600 metros (grama) - Pesos da Tabela I. Regulamento Próprio.
DIA 18 - Prova Especial Gualicho - Sexta etapa da Taça Quati -
3 mil metros (grama) - Produtos de 4 anos e mais idade. Pesos
da Tabela II, com descarga de dois quilos para os sem colocação
em Clássico e de três quilos para os sem colocação em Prova
Especial, desde 1 de setembro de 2010.
DIA 19 - Clássico Presidente João Goulart (L.) - 1 mil 600 metros
(areia) - Éguas de 3 anos e mais idade. Pesos da Tabela II, com
descarga de dois quilos para as sem colocação em Clássico e
de três quilos para as sem colocação em Prova Especial, desde
1 de setembro de 2010.
DIA 24 - Prova Especial Pallazzi - 1 mil 500 metros (areia) -
Produtos de 3 anos e mais idade sem vitória em prova de Grupo
desde 1 de setembro de 2010. Pesos da Tabela II, com
sobrecarga de dois quilos para os ganhadores de Clássico desde
1 de setembro de 2010 e descarga de dois quilos para os sem
colocação em Prova Especial desde 1 de setembro de 2010.
DIA 25 - Grande Prêmio Costa Ferraz ( Grupo III) - 1 mil metros
(grama) - Éguas de 3 anos e mais idade. Pesos da Tabela II.
PROGRAMAÇÃO CLÁSSICA
E PROVAS ESPECIAIS (SETEMBRO)
TABELA DE PESOS
AVISOS
1) A inscrição de animal INÉDITO OU PROIBIDO DE CORRER POR BALDA OU INDOCILIDADE, de qualquer idade, deve ser necessáriamente acompanhada de
atestado oficial de aprovação no partidor expedido pelo Árbitro de Partidas do JCB;
2) A inscrição do animal que corre medicado com FUROSEMIDA, deverá ser feita indicando o alojamento do animal.
3) Nas inscrições dos animais ESTREANTES, o treinador deverá comunicar o peso aproximado e o trabalho. A inscrição deverá ser feita indicando o proprietário
constante dos registros no Stud Book Brasileiro;
4) A inscrição em PÁREO DE CLAIMING, deverá ser feita com autorização do proprietário, que deverá ser entregue na Secretaria da Comissão de Corridas;
5) É responsabilidade do inscritor providenciar para que o FAX atualizado do Certificado de Performance esteja na Secretaria da Comissão de Corridas até as
16 horas e 30 minutos do último dia útil que anteceder à data da inscrição (Resolução da CC de 13/01/03), sendo obrigatória a entrega do Certificado original
antes da realização do páreo;
6) É de responsabilidade do inscritor preencher o formulário comunicando a Secretaria de Comissão de Corridas caso haja DIVIRGÊNCIA DE PROPRIEDADE no
Sisturfe.
7) A Comissão de Corridas, à seu critério, juntará fêmeas aos machos da mesma idade e no mesmo percurso, sempre que se fizer necessário, assim como os de
turmas superiores, quando também programados no mesmo percurso. Esta regra, se aplica, para todos os páreos;
8) Só serão aceitas restrições nas inscrições, quando o número de animais de mesmo sexo ou número de vitórias for superior a 8 (oito);
9) Os páreos de claiming "C" e "D"; "E" e "F"; "G" e "H"; "I" e "J"; "K" e "L"; "R" e "S"; "K1" e "L1"; serão agrupados a critério da Comissão de Corridas;
10) Nos páreos por vitória, os animais com campanha em outros Hipódromos, serão enturmados de acordo com a Lei do Turfe.
11) A assinatura do formulário de COMPROMISSOS DE MONTARIA deve ser igual à dos registros da Secretaria da Comissão de Corridas;
12) É responsabilidade do inscritor verificar, se a Secretaria da Comissão de Corridas já está de posse do atestado declarando que o animal é hemorrágico;
13) Os inscritores deverão comunicar à Secretaria da Comissão de Corridas, quando o cavalo for TOTALMENTE CASTRADO;
14) Os páreos programados nas distâncias de 1.100, 1.200, 1.300, 2.000 e 2.100 metros, areia, serão corridos pela variante

Paulo Gama e os cinco Grandes Prêmios Brasil inesquecíveis

Os meus primeiros anos de turfista, em plena década de 70, foram marcados por descobertas extraordinárias de ídolos nas pistas. Alguns puros-sangues marcaram os meus primeiros passos no fascinante universo turfístico. E alguns profissionais, jóqueis e treinadores, tão distantes da minha convivência, deixaram de ser apenas nomes singelos nos programas oficiais, para fazer parte do meu dia a dia depois que passei a ser cronista de turfe no Jornal do Brasil. Em 35 anos de Grande Prêmio Brasil vivi com intensidade a prova magna do turfe. Como turfista, jornalista, repórter, comentarista, agente de montarias e apaixonado pelo esporte. Escolhi os cinco que, por motivos diferentes, considero os mais marcantes na minha vida turfística.



DAIÃO/1977
Eu estava na faculdade em pleno curso de Comunicação. O meu interesse por corrida era então absoluto. Meus livros e apostilas se confundiam com a antiga Revista Jockey Club Brasileiro. Eu e o saudoso Mauro de Faria nos preocupávamos mais com o resultado dos páreos do que com as aulas de Sociologia e de Estudos de Problemas Brasileiros. A vitória de Daião, do Haras Serra dos Órgãos, no Grande Prêmio 16 de Julho foi um massacre. Para mim não havia dúvida de quem ganharia o GP Brasil. E foi o que aconteceu. Montado por Edson Ferreira e treinado por Wilson Pereira Lavor atropelou forte e pela primeira vez faturei uma grana na prova mais importante do país.


APORÉ/ 1979

Juvenal Machado da Silva era o maior ídolo do turfe carioca. Eu fazia parte da sua legião de fãs. Na Tribuna Especial A, eu berrava em plenos pulmões pelo fantástico alagoano. Os Haras São José e Expedictus só confirmaram a presença de Aporé a poucas horas da realização do páreo. Gabriel Meneses, o jóquei oficial da coudelaria, montava Amazon, fácil ganhador do Grande Prêmio 16 de Julho. Mas eu tinha certeza de que na raia seca Aporé era imbatível. E de ponta a ponta, com a maioria dos adversários pensando que Juvenal fazia corrida para o companheiro de farda, o filho de Egoismo floreou e na reta final deu aquele vareio. Mais uma vez apostei no ganhador toda a minha mesada.


GOURMET/1982

Eu tinha me formado há seis meses. Minha mulher estava grávida e eu não tinha boa vida no mercado de trabalho. O emprego no Jornal do Brasil só apareceria no final do ano. Mas agosto era o mês do meu aniversário. A certeza no triunfo de Gourmet, do Haras Ipiranga, era absoluta. Lembrava da vitória de Aporé, em 1979, e jurava que mais uma vez Juvenal saberia tirar proveito da presença de um favorito que corria atrás, para atropelar. E não deu outra. Enquanto os concorrentes preocupavam-se com o craque argentino New Dandy, o maravilhoso bridão alagoano fez um ritmo de corrida mágico e escreveu seu nome mais uma vez na história do turfe. Apostei tudo que tinha no bolso. Era dia do meu aniversário, 1º de agosto, e no jantar comemos pernil, com arroz branco e salada de batata com maionese Gourmet.


FALCON JET/1992

Em 1992, eu já tinha nove anos na redação do Jornal do Brasil. Era amigo particular do jóquei Jorge Ricardo e do treinador João Luiz Maciel. Os dois juntos era a perfeita união entre a fome e a vontade de comer. Inteligente, talentoso e predestinado parecia justo que Maciel, que já havia ganhado a prova em 1988, com Carteziano, pudesse proporcionar o primeiro triunfo no Grande Prêmio Brasil ao campeão Jorge Ricardo. E foi o que aconteceu. A edição do jornal ficou espetacular. O duelo eletrizante entre os craques Falcon Jet e Flying Finn nas páginas. A revanche sensacional de 1990. Naquela ocasião, o vencedor foi o alazão do Stud Numy, montado por Juvenal. Desta vez o craque do Haras Santa Ana do Rio Grande foi à forra.


MUCH BETTER/1994

Eu já tinha viajado mundo afora na caravana do Stud TNT. Depois de ganhar o Latino-americano em La Plata, o craque do Gonçalo Torrealba levantou também levantou o Grande Prêmio São Paulo, em Cidade Jardim. Faltava o triunfo no Grande Prêmio Brasil, prova em que havia sido derrotado no ano anterior, no olho mecânico, para Villach King, do Haras Santa Maria de Araras. Much Better deu show mais uma vez. O que nós ainda não sabíamos é que ele ainda ganharia o Grande Prêmio Carlos Pelegrini, em dezembro, no Hipódromo de San Isidro, depois de disputar o Arco do Triunfo, em Paris, em outubro, e de perder, 21 dias depois, a Copa ANPC , em tempo recorde, na Gávea. Um craque de outro planeta, treinado por um treinador fenomenal, João Maciel,e conduzido pelo não menos extraterrestre, Jorge Ricardo.

Nozze di Figaro desbanca os machos no Delegações Turfísticas


Única égua no campo da prova, Nozze di Figaro mostrou muita classe para derrotar os rivais no Clássico Delegações Turfísticas (L.), terceira prova clássica de ontem, sexta-feira, dia 5 de agosto, a abertura do meeting GP Brasil 2011.

Numa prova em que o ritmo de carreira foi muito forte, com Talk Show sempre na frente, mas bastante acossado por Scrittore, Coisa de Louco, Nozze di Figaro, Lay Out, Take The Money e Urucum.
Exigido por seu piloto, Talk Show entrou na variante na frente, mas Marcello Cardoso numa bela leitura da prova, deu uma partida longa e tomou a ponta de golpe e tirou vantagem. Take The Money veio na esteira e também passou por Talk Show.
Absoluta na reta final, Nozze di Figaro seguiu com ampla vantagem e sem ser incomodada foi abrindo vantagem, vencendo com autoridade. Take The Money resistiu ao tropel de Halekulani e manteve a dupla. Leste Oeste veio de longe para ficar com o quarta posição e Talk Show, esmorecendo, foi o quinto.
De criação e propriedade do Haras Tributo À Ópera, do turfman Eugenio Pacelli, Nozze di Figaro é uma First American e Italiana In Algeri. Aos 5 anos, a neta de Candy Stripes, treinada por Eduardo Garcia, conquistou sua sétima vitória, quatro na Gávea e três em Cidade Jardim, sendo essa a terceira clássica. Os 2.100 metros, em pista de areia macia foram percorridos pela ganhadora em 2min16s60.

Joquetas show

Grande Prêmio Protetora do Turfe será dia 08 de Setembro ?

O GP Protetora do Turfe esta marcado para o dia 08 de setembro, porém existe uma grande expectativa de que o Presidente do JCRGS consiga convencer o Presidente do JCB a não realizar corridas na quarta-feira do dia 7 de setembro, assim poderíamos realizar nossa festa na data em que o Jockey Clube estará completando 104 anos.

JCRS

Tenente Dodge, com facilidade, levanta o "Luiz Gurgel do Amaral Valente"





Tenente Dodge ganha fácil o "Luiz Gurgel do Amaral Valente"

Tenente Dodge, de criação do Haras Anderson e propriedade do Stud Palurape, venceu com extrema facilidade, o Clássico Luiz Gurgel do Amaral Valente (L.), quarto páreo, em 1.200 metros, na pista de areia, um dos destaques da primeira reunião do Meeting do GP Brasil 2011, no Hipódromo da Gávea. Com a condução tranquila de Henderson Fernandes, o vencedor assinalou 1:12.60.

O fácil vencedor, que largou da baliza dois, tomou a ponta logo na partida, sendo atacado por Jobi, mas antes da entrada da curva, abriu vantagem e em nenhum momento foi incomodado. Tenente Dodge venceu por vários corpos, deixando All Hopes na segunda posição. Lionanco finalizou na terceira posição. Nixon in China e Jobi completaram o marcador.

Filho de Dodge e Energicamente por Equalize, Tenente Dodge, treinado na serra fluminense, foi apresentado em excelente forma pelo treinador Adriano Lobo. Esta foi a sua sétima vitória, a segunda do calendário clássico, em treze apresentações.

por Rodrigo Pereira
foto Gerson Martins

Manoel Nunes chega ao Brasil na próxima terça-feira

Já aclamado pentacampeão das estatísticas em Macau - embora a temporada 2010/2011 só estará encerrada em 27 de agosto - o jóquei brasileiro Manoel Nunes desembarca em seu país de origem na próxima terça-feira, dia 9.

Há 3 anos sem visitar parentes e amigos, Nunes ficará entre nós por pouco tempo tendo em vista que, a temporada 2011/2012 terá início em setembro e o hexa é o próximo desafio

JCSP

Barão da Cevada é o dono do Suckow 2011


com condução "10" de Jorge Leme, Barão da Cevada de sho e venceu o Grande Prêmio Major Suckow 2011.
Barão da Cevada é um Filho de Voando Baixo em Nagila, Criação do Eternamente Rio, Propriedade do Haras The Best e foi preparada por C H Coutinho.
Esta foi a sua oitava vitória em 12 carreiras

IN EXCESS FOI RETIRADO

Um dos melhores reprodutores da história da criação na Califórnia, Estados Unidos, foi retirado aos 24 anos, segundo se informou na sexta-feira, 15, desde Vessels Stallion Farm, localizado em Bonsall. Kevin Dickinson, manager da cabanha, comentou que “O cavalo está feliz e saudável, e passará o resto de seus dias descansando em seu piquete”. Criado na Irlanda, filha de Siberian Express e Kantado (Saulingo) foi um dos melhores cavalos adultos dos Estados Unidos em 1991, temporada em que ganhou carreiras da jerarquia do Woodward Stakes (G.1), Metropolitan Mile (G.1), Whitney Handicap (G.1), Suburban Handicap (G.1) -em tempo recorde de 1’58”33/100 para os 2.000m de Belmont Park- e San Fernando Stakes (G.2). No total, In Excess alcançou onze triunfos sobre 25 apresentações e prêmios por 1.736.733 dólares. Na cabanha, o crioulo de Ahmed M. Foustok produziu até o momento 62 ganhadores clássicos, sendo 16 de seus filhos campeões na Califórnia. Nesta lista se destacam Musical Chimes, Romance Is Diane e o notável Indian Charlie, um dos reprodutores mais cotados do momento no Kentucky e que já produziu 58 vencedores de black-type.

Ta Luv, com Bruno Reis, vence o "Breno Caldas"


Com a ótima condução de Bruno Reis, Ta Luv (Gilded Time e Great Keeneland por Silver Deputy), criação e propriedade do Haras das Estrelas, levantou o Clássico Breno Caldas – Taça Criação Gaúcha (L.), 1.600 metros, areia macia, nesta sexta-feira na Gávea. O pensionista Jorge Pinto cruzou o disco em 1min39s15.

Correndo sempre com muita calma por seu bridão, Ta Luv arrancou nos metros finais, deixando Kito Hope, que também atropelava, na segunda colocação. Dutch Harbor, que ponteou toda a prova até 50 finais, ficou com a terceira posição. Aye Lad e Zarco completaram o marcador.

Esta foi a sexta vitória de Ta Luv, quarta clássica, em 10 apresentações.

por Rodrigo Pereira

Chico Preto recebe animal da Coudelaria Jéssica

Coudelaria Jéssica prestigia treinadores das Vilas Hípicas


Com o propósito de valorizar os profissionais das Vilas Hípicas que estão sendo perseguidos pelo presidente do JCB, a Coudelaria Jéssica estará enviando para o Rio de Janeiro alguns animais de sua propriedade para reforçar o orçamento de alguns profissionais. O primeiro animal, a potranca Garden Fairy, já saiu de Campinas e logo estará ingressando na cocheira do F. Abreu (Chico Preto), amigo da família Dannemann há 60 anos. O próximo da lista será o treinador J.Queiroz.

Hoje, às 20 horas, leilão de Animais em Treinamento do GP Brasil

Amanhã, às 20 horas, leilão de Animais em Treinamento do GP Brasil
05/08/2011 - 5:00:47




Serão apresentados 62 produtos com destaque para os clássicos Torta de Frango, Jobi que será inscrito no Clás. Luiz Gurgel do Amaral Valente – L, Seu Nicão, Trapeze, Our Thunder, Universal Gipsy, Vitória Desejada, Duqueza Desejada, Easy Does It, Our Magee, Pane e Vino e Casa de Louco.

Entre os produtos, graças a seus pedigrees destaque para algumas fêmeas com alto potencial para reprodução como: Usina Nuclear (Northern Afleet), Unique Rafaela (Know Heights), Uma Gostosura (Know Heights), Une Fleur D’Eté (Know Heights, Une Belle Etoile (Northern Afleet), Uma Gracinha (Know Heights), Uma Carina (Sulamani), Une Peinture (Romarin), Olympic Beijing (Redattore), Vitória Desejada (Crimson Tide), Duquesa Desejada (Dancer Man),Easy Does It (First American), Sofiaschoice (Know Heights), Lady Chapel (Spring Halo), Beleza Desejada (Dubai Dust), Ten To Midnight (Know Heights), Tarantela Alegre (Public Purse), Vazuca (Signal Tap), Desejada Central (Pico Central), Set American (First American), Quem Pode Pode (Nedawi), Zanzibar Love (Know Heights), Paraphernalia (Know Heights), Vida Loka (Holzmeister) e Spring Indy (p.T.Indy).

O leilão que será transmitido ao vivo pela internet, através dos sites “www.appsvirtual.com.br e www.turfeproducoes.com.br, será financiado em 12 parcelas.

fonte: APPS

Grande Prêmio Paraná 2011, CC do JCP divulga addeds e dotações para o Meeting do GP Paraná

A Comissão de Corridas do Jockey Club do Paraná, divulgou os addeds e as dotações para as provas que compoem o festival do Grande Prêmio Paraná 2011, programdo para o início de outubro.

GRANDE PRÊMIO “PARANÁ” – G.1
Em 09 de Outubro de 2011
Distancia: 2.000 metros.
Dotações: R$ 35.000,00 – 10.500,00 – 7.000,00 – 3.500,00 – 1.750,00.
INSCRIÇÃO: R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais), sendo: R$ 2.000,00 em pules de vencedor e R$ 1.500,00 em bolsa ao proprietário do vencedor.
Classe; Produtos de 3 e mais anos.
Pesos: Tabela II (3=52 – 4+=59).

CLÁSSICO “GOVERNADOR DO ESTADO” (L)
Em 09 de Outubro de 2011.
Distancia: 1.600 metros.
Dotações: R$ 10.000,00 – 3.000,00 – 2.000,00 – 1.000,00 – 500,00.
INSCRIÇÃO: R$ 1.000,00 (Hum mil reais), sendo: R$ 500,00 em pules de vencedor e R$ 500,00 em bolsa ao proprietário do vencedor..
Classe: Produtos de 3 e mais anos.
Pesos: Tabela II (3=53 – 4+=60).

CLÁSSICO “PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA” (L)
Em 09 de Outubro de 2011.
Distancia: 1.200 metros.
Dotações: R$ 10.000,00 – 3.000,00 – 2.000,00 – 1.000,00 – 500,00.
INSCRIÇÃO: R$ 1.000,00 (Hum mil reais), sendo: R$ 500,00 em pules de vencedor e R$ 500,00 em bolsa ao proprietário do vencedor.
Classe: Produtos de 3 e mais anos.
Pesos: Tabela II (3=54 – 4+=60).

CLÁSSICO “ PRIMAVERA” – (L)
Em 09 de Outubro de 2011.
Distancia: 1.600 metros.
Dotações: R$ 10.000,00 – 3.000,00 – 2.000,00 – 1.000,00 – 500,00.
INSCRIÇÃO: R$ 1.000,00 (Hum mil reais), sendo: R$ 500,00 em pules de vencedor e R$ 500,00 em bolsa ao proprietário do vencedor.
Classe: Éguas de 3 e mais anos.
Pesos: Tabela II (3=53 – 4+=60).

PROVA ESPECIAL "CIRO FRARE"
Em 09 de Outubro de 2011
Distancia: 1.400 metros.
Dotações: R$ 2.500,00 – 750,00 – 500,00 – 250,00 – 125,00.
INSCRIÇÃO: R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais), em pules de vencedor.
Classe: Produtos de 3 anos.
Pesos: Tabela I.
***

Obs.: As inscrições para as provas da SEMANA DO G.P. “PARANÁ” G.1, serão encerradas dia 29/09/11, Quinta-feira, às 10:00 horas e os compromissos de montarias dia 30/09/11, Sexta-feira, até às 10:00 horas. Nesta ocasião deverão ser recolhidos os valores correspondentes a INSCRIÇÃO. Esses pagamentos deverão ser feitos em dinheiro ou cheque de emissão do proprietário ou treinador, na Comissão de Corridas ou em nome do JCP, (Banco Bradesco AG.1705-1 c/c-2400-7).

(*) Em caso de parelha, haverá um desconto de 50% sobre o valor da inscrição do segundo animal.

Informações e inscrições, na Comissão de Turfe, fone (41) 3075-2121 - 3075-2110 - 3075-2108 ou 3075-2109.

Fonte: JCP

Grande Premio Brasil, curiosidades do GP Brasil VII

2003 – Uma vitória, até certo ponto, surpreendente, do nacional Lord Marcos, que correu como devem ser utilizados os descendentes de Clackson, no caso o pai. Clackson era um cavalo forte, bem feito, que corria distâncias maiores e sempre na frente. Ele transmitiu essa característica e, aproveitá-la já era um passo para vencer. Lord Marcos tinha problemas nos anteriores, mas era valente e, bem corrido pelo jóquei M. Almeida, tomou a ponta na largada e nela se manteve até o disco final, vencendo por boa margem. Era de criação do Haras Anderson. O 2º foi, o também nacional, Itsbestand.

2004 – Thignon Boy, um paranaense de criação do Haras Valente, venceu em 2004. Era filho de Thignon Lafré este, um bom ganhador clássico do Haras Malurica, SP, por sua vez, filho do importado Henri Le Balafré, que veio para o Posto de Monta do Jockey Club de São Paulo e resultou em um excelente reprodutor. O 2º colocado foi Evil Knievel, que terminou por ser exportado para Dubai.

2005 – Velodrome foi o vencedor, nascido no Haras Dar-El-Salam, PR. O 2º colocado, Pestanita, entrou na última reta com muito boa vantagem e, quando o páreo já parecia decidido, Velodrome, conseguiu alcançá-lo de forma sensacional. Velodrome, filho do importado francês Booming, foi pouco depois exportado.

2006 - Dono da Raia, um filho de Hibernian Rhapsody, criado pelo Haras São Quirino, SP, havia vencido o G.P. São Paulo com uma arrancada impressionante, o que fez dele, grande favorito do G.P. Brasil de 2006. Montado pelo gaúcho Marcelo Gonçalves, que se iniciou em Carazinho, RS, passou pela Gávea e acabou radicando-se em Cidade Jardim. Dono da Raia seria imbatível caso repetisse a sua espetacular exibição de maio, na capital paulista. E foi o que aconteceu, guardado ao máximo, com muita calma e precisão, Dono da Raia só correu nos últimos 400 metros e, com uma violenta atropelada, levantou, com méritos, o G.P. Brasil em agosto. Foi exportado, comprado pelos árabes. O 2º colocado foi, o também naciona,l His Friend.

2007 - No último ano dessa apreciação das curiosidades nos primeiros 75 anos do Grande Prêmio Brasil, o nacional L’Amico Steve, um filho de Spend A Buck, de criação do Haras Old Friends, Bagé, RS, foi um ótimo ganhador. Na primeira fase da sua campanha nas pistas, L’Amico Steve não dava mostras de um futuro altamente promissor, correndo em distâncias menores sem maiores destaques. Foi inscrito em páreo de “claiming”, onde encontrou comprador. Em novas mãos, mais maduro, recebendo nova orientação, L’Amico Steve foi para os clássicos paulistas de distâncias maiores, e firmou-se como um dos melhores. A vitória no G.P. Brasil não foi por acaso, ganhou com todos os méritos. L’Amico Steve, por conta de seus proprietários brasileiros, foi para Dubai, para a temporada clássica de 2008.

OBSERVAÇÕES:

1 – O G.P. Brasil é sempre uma grande atração. Turfistas de todos os cantos vêm ao Rio. É um grande encontro de amigos.

2 – Muitos dos ganhadores, estiveram aqui só de passagem, apenas, para correr a prova. Outros terminaram por ser exportados. Além disso, há casos de mortes e, ainda, dos que foram para a reprodução e não receberam oportunidades cabíveis e suficientes para o sucesso na criação. Em um passar de olhos nos ganhadores, 5 ganharam duas vezes, e com 5 éguas vitoriosas, diminuindo os citados 70, para 65, machos ganhadores. Os cinco vencedores por duas vezes, foram os nacionais Albatroz, Helíaco, Zenabre e Villach King, e, ainda, o argentino Gualicho. As cinco éguas foram as nacionais Off the Way, Anilité e Queen Desejada, e as argentinas Tiroleza e Fitz. Os demais machos ganhadores são assim divididos: 38 do Brasil, 20 da Argentina, 5 do Uruguai, 1 da França e 1 do Chile.

3 – Alguns dos principais ganhadores do G.P. Brasil mostraram-se inférteis, por exemplo, dentre outros, os nacionais Farwell e Narvik. Os estrangeiros Gualicho, Tatan, Manhangá e Arturo A, tiveram fertilidade zero, ou quase zero e, sem maior sucesso, exceto um ou outro caso, como garanhão importante.

4 – Na reprodução, das três nacionais, Off the Way morreu no final da campanha nas pistas, Queen Desejada ingressou recentemente no Haras TNT, e Anilité produziu entre outros, dois ganhadores de Grupo: Janilité e Omnium Leader. Anilité era de propriedade do Haras Santa Ana do Rio Grande. Das duas argentinas, Tiroleza tinha ovários infantis e foi transformada de égua inadequada para a reprodução em vigoroso macho, de Fitz, não tenho notícias.

Feltran: “Salute e Una Beleza, prontos para o domingo”

Feltran: inscrições chamativas no fim de semana

Dois anos após ter vencido a “Milha Internacional” com Snack Bar, o treinador Luiz Roberto Feltran volta à Gávea com possibilidades acesas de voltar a vencer uma prova de grupo I no Rio de Janeiro, mesmo estando radicado no Tarumã, em Curitiba. Suas duas inscrições, aliás, figuram entre os favoritos de cada respectivo páreo, e, não por menos, geram bastante expectativa no público turfista.

Acompanhando os seus pensionistas na capital fluminense desde o início da semana, Feltran concedeu há pouco, por telefone, uma entrevista à reportagem do Raia Leve, acerca das suas expectativas em relação a Una Beleza, inscrita no Grande Prêmio Brasil (gr.I), e Salute, anotado no Grande Prêmio Presidente da República (gr.I). Ambos pertencem ao Haras Santa Maria de Araras.

“Os dois viajaram muito bem e chegaram em ótimo estado aqui no Rio de Janeiro. A Una Beleza, aliás, galopou na raia de grama, hoje, pela manhã, e eu aproveito a oportunidade para agradecer à gentileza da Comissão de Corridas”, explicou Feltran. A respeito de como a filha de Signal Tap irá se portar na competição, o profissional apontou que Una Beleza não deverá correr muito afastada dos ponteiros. “Vamos buscar dessa vez não correr tão de alcance quanto o fizemos no GP São Paulo, para que, ao entrar mais perto na reta de chegada, as chances da sua atropelada ter sucesso sejam maiores”, revelou o treinador.

E em relação ao argentino Salute, que vem de segundo, justamente, na prova correspondente disputada em maio no Hipódromo de Cidade Jardim, a pergunta direcionada a Feltran foi sobre a ausência do cavalo na preparatória disputada em Cidade Jardim. Segundo o profissional, a ocorrência se deu simplesmente por opção sua e da equipe. “O cavalo seguiu sendo bem trabalhado depois da “Milha” em São Paulo, e acho que isso não será problema. A sua ausência na preparatória em São Paulo não foi motivada por nenhum problema, por nenhuma anormalidade. Foi opção nossa mesmo. O Salute é um animal muito manso, bom de se lidar, e que segue em excelente estado. Aguardamos uma ótima exibição sua”, concluiu.

por Victor Corrêa

Receita do bolo

Apelo dirigido aos dois principais clubes hípicos do Brasil, por Jéssica Dannemann

Revitalização das Vilas Hípicas já!

Receita do bolo

Chamar regularmente páreos específicos para animais alojados nas Vilas Hípicas há pelo menos 60 dias. Isso deve incluir Handicap’s, Provas Especiais e Grandes Prêmios a serem definidos.

Criar dois páreos para estreantes (nova geração) alojados há pelo menos 120 dias nas Vilas Hípicas (Fêmeas e Machos), em data a ser definida. Esse páreo deve ser necessariamente patrocinado e terá que ter uma dotação de R$ 100 mil reais cada um. A Coudelaria Jéssica se compromete (contratualmente) a conseguir (ou arcar com) o patrocínio dos três primeiros anos. A agressividade no valor do prêmio e o corpo (e a alma) do negócio.

Um desses páreos seria denominado de “GP Novos Sócios” justamente para ser também a “estréia” no hipódromo dos novos associados. O primeiro evento deverá inaugurar a entrega sistemática da Carteira dos sócios ingressantes (e dependentes) na Tribuna de Honra regado a um coquetel. Esse evento deve ser repetido quatro vezes por ano. Cada convite será acompanhado de “Vales Apostas” para toda família (nominal e intransferível) com valor a ser definido para ser substituído pela aposta correspondente.

Deve ser feito um convite a todos os associados (antigos e novos) e nesse dia serão sorteados dois sócios e dois cavalos do “GP” (um para cada sócio). Independente de vitória, o que ganhar do outro proporcionará ao sócio vencedor, um prêmio de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

Deveria ser produzido um vídeo institucional para ser enviado a todo quadro social. Esse vídeo mostrará o processo para se tornar um proprietário de cavalo de corrida. O sócio vai aprender como se faz para ter uma farda participando das famosas corridas do Jockey Club Brasileiro, e quem sabe ter o seu cavalo participando do próximo GP Brasil.

No vídeo devem ser apresentadas ainda as vitórias internacionais importantes referentes aos cavalos brasileiros bem como as premiações que fizeram jus.

Os clubes organizam uma estrutura própria para assessorar possíveis interessados agendando encontros, disponibilizando lista de treinadores, páreos de claiming, leilões programados, inscrição do stud na secretaria e tudo que for preciso para agilizar o processo e a vida de um novo turfista.

Será preciso trabalhar para criar um leilão de potros com a chancela dos clubes, não incidindo sobre as arrematações qualquer tipo de taxa. Fazer uma ampla mala direta voltada ao quadro social divulgando e convidando para o evento, com sorteios de prêmios interessantes como um automóvel. (A coudelaria Jéssica se compromete a conseguir o patrocínio).

Revitalizar o Armazém das Vilas Hípicas, reeditando uma “cooperativa” que possa reduzir os custos de vários insumos. Estudar um modelo para que proprietários possam ser avalistas de treinadores, ou aceitando em seu nome rateios mensais correspondentes às despesas de seus animais, o que na pratica significaria dividir em duas fatias o trato, uma para cooperativa, outra para o treinador garantindo liquidez. (A Coudelaria Jéssica se compromete a alojar o mínimo de 25 animais nesse sistema).

Ao invés de “seminários” com a chancela da CODERE para falar de “totalização” de apostas por quem justamente bota a grana dos apostadores no bolso, será preciso organizar um encontro no tatersal para agregar idéias a esse projeto, definindo prazos e etc. Para colocar confeito nesse bolo, é preciso a ajuda de muita gente boa que hoje tem dificuldade até para botar feijão no prato.

Se eu fosse os clubes, começava também a pensar em instituir um prêmio adicional (um bônus) para animais nascidos e criados em seus estados (no Rio deveria ser 100% do prêmio). Vai por mim! Se não revitalizar também os estados como criadores, não teremos cavalos em pouco tempo nem para formar dois programas.

No mais é só esquecer a idéia de JIRICO de querer COBRAR boxe de treinador ou proprietário. Isso é de uma burrice de agredir o mais burro dos homens burros; de uma incompetência cavalar. Os clubes precisam dar o SOFTWARE e os proprietários o HARDWARE. Se Sherlock Holmes fosse vivo ele diria: Elementar meus caros Eduardos!

Há porque a prefeitura disse... O meio ambiente falou... O Cavalo é parte da cidade, como as favelas e os seus contornos; a cidade convive com eles há mais de 100 anos, na sua essência, bosteiam menos que os políticos!

Revitalizar as Vilas Hípicas é garantir o futuro do turfe!

Quem não abraçar essa idéia é porque está pensando em abraçar outras coisas, e os Clubes hípicos não foram feitos para “outras coisas” se não as corridas de cavalo.

No mais é só escolher bem os novos presidentes, sabendo de antemão que o “mercado financeiro” não anda lá produzindo gente tão boa assim para comandar nenhum dos dois clubes que aqui dirijo a minha humilde e dedicada palavra.

A. M. Souza confiante em vitórias!

Radicado no turfe de São Paulo, Ângelo Marcio Souza (foto) é sem duvida um dos melhores jóqueis do turfe brasileiro. Possui em seu currículo vitórias expressivas, como os triunfos de Olho de Tigre (Haras São José dos Bastiões), na milha internacional paulista, e Jet (Haras Maringá dos Pinhais), no GP Presidente da República (G1) carioca, ambos em 2007.

No meeting do Grande Prêmio Brasil 2011 o piloto possui três oportunidades.

Amanhã, sábado, dia 06, A. M. Souza estará no dorso de Grand I Ask (Gianni Franco Samaja), no GP Roberto e Nelson Grimaldi Seabra (G1):

“Ela vem de três vitórias comigo e atravessa seu melhor momento. Acredito que a principal rival seja a Hunka Hunka, pois gosto muito dessa potranca. Mas esse tipo de páreo é sempre duro, respeito todas as adversárias, confiando na minha”. Afirmou.

No domingo, “Ceará” será o piloto de Irmãozinho (Haras São Quirino) no GP Presidente da República (G1):

“Conheço bem o cavalo e estou confiante. Essa prova é bem equilibrada, já que tem muitos animais com chances reais de vitória. Estão falando muito desse potro do V. Gil, Plenty Of Kicks, que leva vantagem no peso. Pretendo correr o meu quietinho, como ele gosta, e espero que ele atropele para brigar pela vitória.” Disse.

Já na principal carreira do festival, Grande Prêmio Brasil (G1), o jóquei está confiante em uma boa apresentação de Nenem do Papai (Haras Bravo Lima):

“Vem de quarto na preparatória paulista com o A. L. Silva e está em evolução. Too Friedly, que é uma maquina, Jéca e Una Beleza são as forças da prova, mas gosto muito também do cavalo I Want The Glroy, que, assim como o meu, pode ser uma surpresa na prova. Enfim, as carreiras não são fáceis, mas espero voltar com troféus para São Paulo.” Completou o piloto.

Por Celson Afonso

SENHORES PROPRIETÁRIOS E PROFISSIONAIS DO TURFE

Convidados pelo Sr. Luis Eduardo da Costa Carvalho, ainda Presidente do Jockey Club Brasileiro, nosso Clube, acorremos a uma reunião, cujo propósito seria CONCILIAR a posição do Presidente, com os Senhores Profissionais que, em veemente protesto, interromperam as carreiras no último fim de semana na Gávea.

Confessamos que atendemos ao chamado, apenas na esperança que o Sr. Lecca, tivesse entendido a gravidade da crise que, POR SUA ÚNICA CULPA, atravessa o turfe carioca, às vésperas da nossa maior festa, o Grande Prêmio Brasil.

Confessamos ainda que, tivemos a grata satisfação de encontrar, diversos (dos maiores) proprietários do Rio de Janeiro, que com extremo bom senso e idéias lógicas procuraram auxiliar o Presidente a desfazer as BARBARIDADES por ele mesmo criadas, e que determinaram o justíssimo protesto dos profissionais.

Ao longo de quase 3 (três) horas, debatemos, livremente, os diversos pontos de vista, tendo ao final prevalecido, com a CONCORDÂNCIA do Presidente, o seguinte:

1- Aumento da taxa de inscrição de 1% para 1,5% sobre o prêmio do 1º lugar;

2- Manutenção do Plano de Saúde nos moldes atuais, considerando que o aumento retro mencionando, paga com folga, a diferença relativa ao aumento do Plano;

3- Manutenção da Caixa Beneficente , em todos os seus termos atuais, ficando entendido que a continuidade da Caixa é fundamental para o equilíbrio trabalhista e social, entre proprietários, treinadores e cavalariços.

4- Suspensão imediata de todas as retomadas de cocheiras em curso, bem como interrupção de novos procedimentos, no aguardo de estudos que o Clube pretende fazer em conjunto com os proprietários, instituindo o regime de condomínio nas Vilas Hípicas.

Pensamos que tínhamos, todos, alcançados os objetivos pretendidos e que, superada a crise, caberia ao Presidente informar através do “site” do clube, as decisões do consenso. Qual não foi a nossa surpresa ao tomarmos conhecimento do pronunciamento do Presidente, sob o pseudônimo de “gerente do turfe” do resultado da reunião, onde DISTORCEU, a seu bel prazer, tudo que ficara decidido pelos presentes.

O texto publicado é inaceitável, não guarda qualquer semelhança com o que ficara acordado e pior, distorce para o mal, não respeita, modifica o consenso das opiniões, não tendo sequer nexo causal com os assuntos discutidos, em suma: É RIDÍCULO!

Assim para que prevaleça a verdade, firmamos o presente,

Afonso Cesar Burlamaqui
Luiz Fernando Alencar
Alvaro Novis
Luiz Octavio Figueiredo (representando a ACPCPSI)




Bye bye cavalos, bye bye JCB - [04/08/2011]


Sergio Barcellos
Sócio do JCB, proprietário de cavalos de corrida

Um dia de 1939, um risonho primeiro-ministro inglês desceu em sua terra brandindo orgulhoso um tratado com a Alemanha que, segundo ele, garantiria a paz na Europa de seu tempo.

Demorou apenas dias para a Alemanha, com o consentimento da Inglaterra, tomar uma parte da então Tchecoslováquia, acabar com aquele país, anexar a Áustria, e, finalmente, invadir a Polônia dando início à II Guerra Mundial.

Chamberlain queria, ao transe, o entendimento e a paz, e por eles fez todas as concessões. A diferença entre os dois lados era que um deles, a Alemanha, sabia exatamente o que queria e não abria mão de suas convicções (e ambições). Ele, Chamberlain, um cavaleiro inglês da velha estirpe, acima de qualquer suspeita, só queria a paz. Teve a guerra.

É o que ocorre, quando um lado tem um projeto do qual não se afasta, e o outro não tem projeto nenhum, coordenação nenhuma, nem certeza alguma, senão o de acreditar na cândida possibilidade de diálogo, entendimento e negociação sobre o nada. Infelizmente, é assim que funciona com a natureza humana.

O erro de Chamberlain custou ao mundo 50 milhões de mortos e deixou atrás de si um rastro de destruição, a maior da história da humanidade. Acontece às melhores e mais nobres famílias inglesas.

II

Os dirigentes do Jockey Club Brasileiro hoje não querem mais os 1.945 boxes disponíveis nas cocheiras da Gávea, muito menos querem cavalos para ocupá-los integralmente, como, por exemplo, na década de 1990.

O que eles querem, é reduzir pela metade (50%) o número de boxes disponíveis - não importa como - e limitar o contingente de animais a cerca de, no máximo, 900. Para eles, que se julgam profundos conhecedores do turfe, sem ser, isso é mais que suficiente.

O resto dos espaços das vilas hípicas seria então preenchido por mirabolantes projetos imobiliários os mais variados. Qualquer um serve aos seus propósitos.

Numa palavra, os atuais dirigentes do Jockey Club Brasileiro não acreditam em mais cavalos, e sim em menos cavalos. Não acreditam nos empregos que eles geram, não acreditam em trabalhar para fazer crescer o movimento geral de apostas, não acreditam em nada que lembre, de longe, atividade hípica em torno do centenário hipódromo.

Só acreditam numa coisa e aplicam nela a certeza ideológica dos mártires e suicidas: desocupar cocheiras rapidamente, derrubá-las, e botar no lugar delas seja o que for - menos cavalos de corrida.

III

Então, para conseguir seu intento, os dirigentes do Jockey Club Brasileiro, de tempos em tempos, amenizam a evidente preocupação de ilustres criadores e proprietários acerca de suas intenções, convocam-nos para debates "construtivos" sobre as cocheiras da Gávea e seus problemas, fazem juras de fidelidade ao turfe, desenvolvem argumentos os mais exóticos, apontam notórios exemplos de desvios de conduta dos comodatários das cocheiras, transformam essas exceções em regra, e prometem, de pé junto, que nada do que eles, criadores e proprietários suspeitam, é verdade.

Basta o último deles sair e a porta se fechar, para que o plano de reduzir o número de cavalos da Gávea e desocupar metade das cocheiras seja imediatamente retomado.

E eles, criadores, proprietários, presidentes de associações de classe, momentaneamente apaziguados em suas angústias e preocupações, e acreditando, piamente, em tudo que ouviram, sentem-se seguros - durante um breve e brilhante momento -, de que seu brutal investimento na atividade será preservado por este estranho JCB-2011.

De uma forma simbólica, eles são os Chamberlains do Jockey Club Brasileiro, homens honrados, convictos de que a santidade dos contratos será respeitada. E a paz, afinal, virá. Nem os contratos serão respeitados, nem a paz virá. Não dessa forma.

Porém, na manhã do dia seguinte à reunião - com a surpresa espantada dos homens de boa fé -, dão de cara com uma decisão dos atuais dirigentes do clube inteiramente oposta ao que foi solenemente pactuado na noite de horrores do dia anterior. Cruel decepção...Mais uma.

E isso se repete, e se repete, e se repete, como um mantra - com entediante regularidade -, desde a primeira reunião que tiveram sobre o assunto com os atuais dignitários do JCB.

Louve-se a calma, a educação, e a paciência, dos criadores e proprietários. A mesma que Chamberlain teve nas reuniões de Munich, da qual resultou o tal papel almaço da "paz" com a Alemanha. Não adiantou nada tanta educação, tanta contenção, e tanto polimento.

Na verdade, os ilustres criadores, os grandes proprietários, os presidentes de associações de classe, sejam estaduais, sejam nacionais, presentes a esses encontros, ainda não perceberam, exatamente, que as certezas e as intenções de seus interlocutores do JCB são muito mais consistentes que as deles, resumidas estas em uma só frase: cavalos de corrida na Gávea, enquanto estivermos aqui, não mais!

Embora candor e abertura de espírito sejam virtudes, vão ser crédulos assim em Queimados! (na baixada fluminense)

E quem tem dúvidas a respeito de mais uma decepção, é só ler o editorial aqui no Raia Leve, cujo título é: "Aos Senhores Proprietários e Profissionais do Turfe", assinado por quatro ilustres criadores e proprietários presentes, de boa fé, à última reunião com os atuais senhores indiscutidos do Jockey Club Brasileiro.

IV

E o que resultaria da progressiva diminuição do número de boxes disponíveis na Gávea? Boa pergunta.

1) De saída, por óbvio, menos cavalos, menos matéria- prima para a formação de quatro reuniões semanais de corridas. Como são necessários cerca de 400 animais para a formação dos citados programas - e tendo em vista, que existe no turfe algo que atende pelo nome de "enturmação" - pode-se pensar que em futuro próximo uma dessas reuniões não seria mais realizada.

Ou seja, voltaríamos 30 anos atrás, com corridas apenas no sábado, domingo e segundas-feiras. Enquanto houver cavalos para realizá-las...

2) Menos cavalos, menos proprietários, menor aquisição de animais (danem-se os criadores!), menos empregos (danem-se os empregos!), menos profissionais necessários (danem-se os profissionais!), menor volume de apostas (danem-se as apostas!). Interessante, não é?

Enquanto o turfe do mundo incentiva fortemente a formação de novos proprietários (individuais ou em grupo), aliado ao aumento do número de animais disponíveis para a competição, e luta arduamente por isso, o turfe do Rio de Janeiro ameaça caminhar na direção oposta (uma espécie de anta reumática na contra-mão da Av. Brasil...).

3) E os centros de treinamento criados nas proximidades do hipódromo - em sua maior parte, quando a atividade florescia e o número de cavalos da Gávea era o dobro do atual? O que acontecerá com eles?

Aberta a caixa de Pandora da diminuição progressiva dos espaços para animais estabulados na Gávea, também eles, os centros, podem se preparar para dias difíceis.

Tange a mais absoluta ingenuidade pensar que aproveita aos interesses dos proprietários desses centros a drástica (e hoje programada) redução da matéria-prima disponível para a formação dos quatro programas semanais do Jockey Club Brasileiro.

Na verdade, os centros de treinamento só se justificam economicamente como uma forma inteligente de elitização do mercado de animais hoje existente em torno do hipódromo. Nenhum proprietário pequeno resiste financeiramente a manter em centros de treinamento privados nenhum animal cuja qualidade seja duvidosa: ele vende o animal ou desiste da atividade. Sai dela.

Aliás, a primeira providência que o empresário internacional e brilhante reformador do turfe francês, Jean-Luc Lagardère, tomou quando assumiu a France Galop, foi perceber imediatamente que teria de criar opções mais baratas para que o pequeno proprietário pudesse manter seu(s) animal(is) em treinamento, permanecendo na atividade. Ou comprando mais cavalos. Como ocorreu.

E fez isso, incentivando-os a treinar na província (de Deauville, na costa do Canal, ao sul da França), e a correr, primeiramente, nos hipódromos do interior, antes de cogitar trazê-los para Chantilly - onde só milionário pode ter cavalo de corrida.

E Lagardère sabia, mais que ninguém, que milionário sozinho não faz um turfe próspero, apenas ajuda sua prosperidade ("Faz encher algo que já está em progresso", como disse T.S. Eliot) Se tivesse nascido brasileiro, estaria lutando para lotar as cocheiras da Gávea de animais de corrida!

Pois quem faz turfe forte no mundo, são os milhares de pequenos e médios proprietários de cavalos de corrida, não a grande e afluente coudelaria. Ponto.

Traduzindo: diminua-se o número de cavalos da Gávea, anule-se a possibilidade de reserva de espaço para acolhe-lhos e suportar um eventual crescimento da quantidade de animais, e todo o conjunto da atividade, centros de treinamento da serra inclusive, começarão a ter problemas. Isso é certo.

4) E os empregos da equipe do JCB que gerencia as corridas? Não vai ser preciso mais equipe alguma. Basta um "handicapeur" e alguém para atender telefone. Quanto menor o número de cavalos, e menor o número de reuniões, menor a necessidade de gerenciar a formação dos programas de corridas.

V

No terrível dia em que o Jockey Club Brasileiro abrir mão de suas espetaculares cocheiras das vilas hípicas e dos 1.945 boxes que ali possui - e imaginar que só tem obrigação de fornecer a pista de corrida, e mais nada -, acabou o turfe da cidade.

E como monumento à absoluta incapacidade de seus dirigentes, sobrará apenas a nostalgia de algo que um dia foi, e não é mais. E os atuais dirigentes do clube viverão para sempre felizes, pois não terão que se preocupar com cavalos de corrida ou corrida de cavalos.

Orgulhosamente (há gosto para tudo), talvez amem administrar uma sede esportiva, uma garagem na cidade, alguns restaurantes espalhados por aí, e salas para alugar nos fundos do prédio. Moleza.

Mas é exatamente este o fim amargo desenhado no horizonte do clube, a partir do instante em que se acredita que dessa mixórdia de conceitos sairá algo de bom e útil. Não sairá.

Chamberlain morreu logo depois do tal pergaminho da paz que só produziu sangue, trabalho, suor e lágrimas. E entrou para a história como o estereótipo do homem da conciliação e da boa vontade. No caso, ambas totalmente equivocadas.

Pobre Chamberlain. Pobres criadores, proprietários, e profissionais do Jockey Club Brasileiro. Pobres centros de treinamento. Não têm idéia do que os espera.

Correa, bem montado nas provas de G1

Um dos melhores jóqueis em atividade no país, Ilson Correa assinou bons compromissos de montaria nas quatro principais provas do meeting do Grande Prêmio Brasil.

No GP Major Suckow (G1) o piloto monta o atual vencedor da prova, Desejado Thunder (Stud Alvarenga), provável favorito novamente este ano:

“É a primeira vez que o monto, mas o conheço bem, pois sempre o tive como adversário. Ele trabalhou muito bem na última semana, está tinindo! Acredito que o potro, Berlino Di Tiger, seja o grande rival, principalmente pela vantagem de peso.” Disse I. Correa.

No ‘Brasil das Éguas’, o jóquei monta Inchatillon (Stud Alvarenga), campeã do GP Roberto e Nelson Grimaldi Seabra (G1) em 2010:

“Ela corre quieta, então acredito que a baliza não vai ser um problema. Fiz seu último trabalho, é uma égua mansa demais, mas o train deve ser favorável e, com um pouco de sorte, a gente chega na briga pela vitória.” Comentou.

Já na milha internacional, GP Presidente da República (G1), Correa estará no dorso de Último Furo (Haras Anderson), vencedor do GP Estado do Rio de Janeiro (G1):

“A última corrida usamos como preparatória. Agora sim ele está pronto para a vitória. A baliza é muito boa e, mesmo dando vantagem de peso aos potros, acredito que ele chegue entre os primeiros.” Falou o bridão, nitidamente empolgado.

E no Grande Prêmio Brasil (G1), principal prova do meeting, Ilson Correa terá oportunidade de vencer seu primeiro ‘Brasil’ com Another Xhow (Stud Alvarenga):

“Conheço bem o cavalo. Já o conduzi em outras oportunidades. Ele está pronto, ‘seu’ Guignoni está caprichando muito. Ele chega sempre perto, foi segundo ano passado, quando fui terceiro com Tonemaí, e espero que dessa vez venha à vitória. Seria sensacional, a realização do meu maior sonho como jóquei.” Finalizou.



Por Celson Afonso –

Lagoinha: Programa oficial - 3ª reunião da temporada

Neste sábado, será realizada a 3ª reunião da temporada 2011/2012 no Hipódromo da Lagoinha, em Goiânia. A reunião contará com 4 páreos e o primeiro páreo terá início às 15h.

O páreo que desperta mais curiosidade é o segundo. Pois conta com a presença de 5 estreantes (Catamaram - 2 vitórias de claiming em Cidade Jardim, Quick Royality - 1 vitória de claiming na Gávea, Carpenter - 1 vitória em Cidade Jardim, Formidable Mio - 1 vitória de claiming na Gávea e Dancer Boy - 2 vitórias de claiming, sendo 1 na Gávea e 1 em Cidade Jardim) e dois animais que vem se destacando nas raias goianas, Talisman Lark e Da-lhe Giant.

No 4º e último páreo da reunião será realizada a prova preparatória para o Grande Prêmio Goiás. Com a presença de 2 estreantes: Jeu de Mots e Em Pleno Vôo (ganhadores de claiming em Cidade Jardim) e diversos animais muito conhecidos em Lagoinha, como New Pleasure e Leopold que vem de vitória. O páreo promete.

Segue abaixo o informativo dos páreos. Boa sorte a todos.

1º Páreo - 1300m - 15h - Prêmio: R$930,00 - Produtos de 3 anos ou mais sem vitória

Animal / Jóquei / Treinador / Proprietário

1- Senha Secreta / JE.Rosa / JM.Martins / Amarildo Reino de Lima
2- Ziazan / M.Macedo / SP.Silva / Stud Teixeira e Gomes
3- Four Inches / J.Divino / AL.Moraes / Stud NG
4- Danny / SM.Silva / VB.Santos / Stud BBC
5- El Corte Inglês / W.Souza / D.Brandão / Stud Morato
6- Habalá / J.Gonçalves / JO.Custódio / Stud Anhanguera

2º Páreo - 1400m - 15:40min - Prêmio: R$1.000,00 - Turma A sem vitória

1- Catamaram / W.Natal / W.Natal / Stud Rancho 3
2- Quick Royality / J.Divino / Al.Moraes / Stud NG
3- Carpenter / SM.Silva / SP.Silva / Stud Teixeira e Gomes
4- New Eagle / E.Vieira / Al.Moraes / Stud Tião
5- Talisman Lark / J.Gonçalves / JO.Custódio / Stud Anhanguera
6- Da-lhe Giant / W.Souza / D.Brandão / Stud Morato
7- Formidable Mio / AN.Santos / J.Fernando / Haras El Dourado
8- Dancer Boy / M.Macedo / J.Fernando / Haras El Dourado

3º Páreo - 1200m - 16:20min - Prêmio: R$1.000,00 - Chamada Livre

1- Natalina / J.Gonçalves / JO.Custódio / Stud Anhanguera
2- Araça Cotton / E.Vieira / VB.Santos / Stud Mano a Mano Goiás
3- Dubai Fronteira / J.Fernando / Haras El Dourado
4- Cafeigue / AN.Santos / SP.Silva / Stud Lualca
5- Tântalus / W.Souza / D.Brandão / Stud Morato
6- Selo Pronto / W.Natal / W.Natal / Stud Rancho 3

4º Páreo - 1800m - 17h - Prêmio: R$1.000,00 - Prova Preparatória para o GP.Goiás

1- Jeu de Mots / JE.Rosa / A.Gonçalves / Esaú Mariano Pacheco
2- Retrato Falado / SM.Silva / VB.Santos / Stud Mano a Mano Goiás
3- American Samôa / J.Gonçalves / VB.Santos / Stud Fernando
4- Olympic Champ / W.Souza / D.Brandão / Stud Morato
5- Em Pleno Vôo / J.Gonçalves / D.Brandão / Stud Morato
6- Hidden / J.Divino / AL.Moraes / Stud NG
7- New Pleasure / E.Vieira / AL.Moraes / Stud NG
8- Kaloã / W.Natal / W.Natal / Stud Rancho 3
9- Leopold / AN.Santos / W.Natal / Stud Rancho 3

por Eluan Turino

Jairo Borges fala sobre suas inscrições na semana do Brasil

Sábado:

AFORADA - apesar de estar inscrita contra os machos, vem evoluindo de carreira a carreira e fará uma bela corrida, estará entre os primeiros colocados.

PORTA DE PARIS - correrá pela primeira vez na grama, vem correndo uma enormidade, por isso inscrevi nesse páreo, se pegar a grama, com certeza fará bela corrida.

ALMA DA RAIA - égua que só vem correndo grama e mil metros, mas possui trabalhos regulares para bons na areia, irá correr com destaque mesmo na areia, apesar do pareo cheio, vai com a aprendiz descarregando 5 kg, e se folgar na frente, poderá não ser alcançada.

PRINCESS CAROL - vem correndo bem, porém pegou um pareo cheio, e irá se colocar bem no marcador, vejo como força a égua Uribia, do Paraná.

por Leandro Mancuso

Hoje tem Nelito Cunha na mesa do turfe

O jóquei Nelito Cunha, que nos últimos meses esteve atuando em Cingapura, é o convidado especial do programa Mesa do Turfe deste sábado que, excepcionalmente, terá início às 12h.

Além de analisar as chances de suas 9 montarias, Nelito, que permanecerá por aqui pelos próximos 40 dias, irá contar fatos curiosos sobre sua recente temporada no exterior e também irá comentar sobre suas expectativas em relação ao futuro, em Macau, para onde irá transferir-se em meados de setembro.

Com apresentação de Jair Balla e comentários de Renato Barros e Lucas Menezes, a Mesa do Turfe é levada ao ar, ao vivo, pela TV Jockey, no canal 13 da Net Digital, pelas antenas parabólicas digitais e pelo site www.jockeysp.com.br

Não perca !

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

GOOD FEELING VENCEU O CLÁSSICO J.A.PEIXOTO DE CASTRO

corrido no dia de ontem, 04/08, no Hipódromo do Cristal o CLÁSSICO J.A.PEIXOTO DE CASTRO,2200 Metros , Areia, marcou Linda vitória de GOOD FEELING sob a condução de C. Machado e o preparo de H P Machado.

AS "QUENTINHAS" DO SUL

O cavalo Jettie, invicto em terras gaúcha ainda tem seu futuro indefinido, o defensor do Stud Amigos da Barra caso seja negociado deverá seguir campanha no Hipódromo de Maroñas, caso contrário deverá colocar sua invencibilidade em jogo no festival do GP Protetora do Turfe;
O potro Hermano Lô teve seu destino traçado, o castanho criado pelo Haras Capela de Santana em breve será exportado para Uruguai aonde atuará na polla de potros;
O craque Coisa de Louco dos “irmãos Correa” esta anotado para a disputa do GP Delegações Turfísticas e entrará em pista com muita chance de vitória. Cabe salientar que o referido animal esta inscrito no leilão de treinamento, e caso não seja vendido deverá participar da festa do Protetora;
O Jockey Clube de Cachoeira do Sul aos poucos vai retomando suas atividades, nos próximos dias 13 e 14, a entidade servirá de palco para a disputa do GP Princesa do Jacuí;
O tordilho Príncipe dos Mares que na última quinta-feira secundou Conde Vic no handicap de tordilhos, já esta sendo alongado para a disputa do GP Protetora do Turfe, o pupilo do Stud F&R deverá a direção de R.Arias;
O GP Protetora do Turfe esta marcado para o dia 08 de setembro, porém existe uma grande expectativa de que o Presidente do JCRGS consiga convencer o Presidente do JCB a não realizar corridas na quarta-feira do dia 7 de setembro, assim poderíamos realizar nossa festa na data em que o Jockey Clube estará completando 104 anos.


JCRS

Raia Leve, Nova enquete no ar: Entre o Lecca (JCB) e o ERA (JCSP), em quem você vota?

Em função das declarações publicadas nos principais jornais do País, dos Presidentes das duas principais Entidades turfísticas do Brasil, LECCA do JCB, e ERA do JCSP, que causaram grande repercussão negativa, no que diz respeito a opinião pessoal de cada um deles sobre o modelo de gestão empresarial mais inteligente para os clubes de turfe, qual das alternativas abaixo, entre estes soberbos competidores, você votaria :

1) o do presidente LECCA, que, de público, rebaixa o turfe a “atividade em regressão e decadente” e promove os produtos de banca internacional de jogo que concorre com o JCB, usando a licença e a base de apostadores do clube (Globo, 20/6/10);

2) o do presidente ERA, que, de público, recentemente, sentencia que “cavalo é prejuízo” e “solução para o JCSP é o clube social” (Folha, 31/7/2011);

3) se achar que os dois competidores merecem a vitória, pela inteligência superior da ideia de desmoralizar o turfe para gerir empresarialmente a entidade turfística, vote EMPATE.

4) se achar que os dois competidores não completarão o percurso, claudicando ao peso de tanta inteligência, vote NÃO COMPLETARÃO O PERCURSO (NCP)

Raia Leve
www.raialeve.com.br

Bom movimento no leilão do Pirassununga, São José do Bom Retiro e convidados

Bom movimento no leilão do Pirassununga, São José do Bom Retiro e convidados


Bom movimento no leilão de ontem, além de casa cheia, o leilão dos Haras Pirassununga, São José do Bom Retiro, Fronteira, São Luiz e Castelo, teve um bom movimento financeiro e uma ótima média, sendo um dos poucos leilões que apresentou um crescimento comparado com o do ano passado.

O volume de negócios foi de R$ 1.222.500,00 e o preço médio geral foi de R$ 32.171,00, com 7 RNAs, portanto, o índice de liquidez de 83%.

Com relação ao reprodutor americano NOTABLE GUEST que apresentava sua 1ª geração seus filhos fizeram uma média de R$ 44.000,00.

Fonte: APPS

Una Beleza e Grand I Ask conhecem o gramado carioca

Hoje pela manhã, as competidoras Una Beleza, Grand I Ask e Murmansk (IRE) fizerem um galope de reconhecimento no gramado do Hipódromo da Gávea.

Una Beleza (Haras Santa Maria de Araras), inscrita no Grande Prêmio Brasil (G1), galopou sozinha com seu redeador, sendo assistida pelo treinador Luiz Roberto Feltran.

Já as corredoras Grand I Ask (Gianni Franco Samaja) e Murmansk (Haras Fazenda Boa Vista), que correrão o GP Roberto e Nelson Grimaldi Seabra (G1), realizaram um galope de parelha, também muito bem apresentadas por Olavo Jerônimo, que acompanhou o treino de suas pensionistas.



Por Celson Afonso

Secretaria da Comissão de Corridas informa aos apostadores!

Secretaria da Comissão de Corridas informa aos apostadores:



Prova Especial Pacheco Borges

Os números do 1º, 2º e 3º suplentes estão incorretamente apresentados no programa oficial, onde se entende que todos eles fazem parte do páreo sob o número 18.

O animal JADE e sua parelha, ENERGIA BRICS, na verdade constam no páreo sob o número 19 e o animal FIRST-RATE sob o número 20.

Como é de praxe, esses animais somente correrão se algum outro animal for retirado, obedecendo a ordem de suplência. Os que não forem correr serão retirados do páreo e as apostas efetuadas nesses animais serão restituídas, obedecendo ao regulamento de apostas.

A grafia correta do páreo fica:

19 Jade (P3) M.Almeida 59 (1ºsup)

" Energia Brics (P3) F.R.Santos 60 (3ºsup)

20 First-Rate R.Costa 60 (2ºsup)



O mesmo acontece na Prova Especial Quick Chance com ECONASH consta no páreo sob o número 19

Gerência de Turfe

Turfe argentino proíbe a Furosemida a partir de 2013

Na Assembleia realizada pela Organização Sul-Americana de Fomento (OSAF), em setembro de 2010, foi proposto que todos os principais hipódromos da América do Sul abolissem o uso da Furosemida nas provas Black Type, a partir do ano de 2013.

O Brasil, adiantando-se ao proposto, adotou a proibição do uso do medicamento em todas as carreiras graduadas e listadas.

Na Argentina, os diretores realizaram diversas reuniões para tentar adotar um critério harmonioso. Finalmente, ficou decidido que a partir de 2013, a Furosemida estará proibida em provas de G1 e G2. As autoridades do turfe argentino, em breve, farão comunicados para colocar todos os profissionais à par da situação para as devidas adequações.

Pelos Bastidores da Gávea

* Até que enfim voltam as corridas na Gávea, na semana mais importante, com a realização do GP Brasil, com inúmeras inscrições. Agora, só precisamos torcer para que o final de semana seja de sol.

* Porque será que ninguém convidou JORGE RICARDO?

* Destaco no leilão desta quinta-feira, 4, três animais do Haras Pirassununga, dos irmãos Brenno e Oscarzinho: Lote 16 - AKSARAY - Filho de Point Given e Sherikan (2º GP Diana); Lote 18 - ANOTHER PURSE - Esse potro filho de Public Purse e Buy It, impressiona pelo porte físico e poderá ser o mais caro do pregão; Lote 21 - AMAZING GUEST - Filho de Notable Guest e Lua Soberana (mãe de Silly Girl, Unkel e Vasuveda).

* Tiago Josué Pereira estará em ação no dorso de CONCLUSIVO, GOROROBA DO IPÊ, QUADRIBALL e TAKE THE MONEY.

* Caravanas de todo Brasil desfilarão na Gávea neste final de semana.

* A paralisação do último final de semana mostrou a força dos profissionais, proprietários, Raia Leve e sua Associação PSI. O Lecca que entre na linha...

* O presidente do JCB além de ter sua imagem afetada pela imprensa carioca e brasileira, sempre na semana anterior ao GP Brasil homenageia diversos órgãos de imprensa, ganhando na semana seguinte matérias sobre sua festa máxima. Com o cancelamento...

* IDONEO, está no Leilão de Treinamento do sábado pela manhã. Com 3 vitórias aos 3 anos, será grande compra. Outra boa opção é a RUBIA STREET.

* Uma dica boa aos corredores de retas é TRUE FAST, égua espontânea e muito ligeira. Ela é um balaço...

* Semana do GP Brasil e uma gripe fortíssima me pegou de surpresa. Por isso, deixei as dicas para o Rizzon e o Professor Rezende, dois craques na arte de analisar as corridas.

* PATROCÍNIO: Coudelarias Barcelona e os Studs Absolut, Acqua Azul, Renata e Rodrigo, JPR Empreiteiro e Serviços Gerais-(21) 9641-4913, Stud Gata da Serra e Umura Eventos.

por Leandro Mancuso

LA PLATA: OITO MESES PARA SIMAR ALVAREZ

A Comissão de Carreiras de La Plata suspendeu por 8 meses o preparador Simar Alvarez, após confirmar-se que apresentou abaixo de tratamento proibido o seu pupilo Calmo Prize (Hidden Prize), que vencera a 2ª prova de 21 de junho. A droga encontrada foi Parahidroxiefedrina (categoría C) e o cavalo não poderá voltar a competir por 2 meses. Calmo Prize foi desclassificado para a última colocação e o vencedor passou a ser Devil’s Luck (Lucky Roberto

Tarumã, programa para o dia 2 de Agosto

PROGRAMA E MONTARIAS PARA A 504ª REUNIÃO, SEXTA-FEIRA, DIA 12 DE AGOSTO DE 2011.

1º PÁREO - 800 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 16h45 - (T-01) - TRIFETA

PICK 3 INICIAL

1 - ESTRELA DO IGUASSÚ (P1) - E.P.Santos - 1-56

2 - LANCE GENIAL - R.Araujo - 2-56

3 - TALBOT LAKE - D.Santana 3k - 3-54

4 - ROYAL BEAUTY - M.Beatriz - 4-54

5 - BOLADO - U.Duarte - 5-56

6 - COMANDANTE FAHIM (P1) - E.P.Santos - 6-56

7 - DA-LHE PORTO BELO - L.Chimenes - 7-56



2º PÁREO - 1.100 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 17h15 - (T-01A) - TRIFETA - QUADRIFETA

1 - AROEIRA - E.P.Santos - 1-56

2 - FLIPPERS GAIS - B.Ardiles - 2-56

3 - PETITE NICOLLE - M.Quintana - 3-56

4 - TCHAU GIRL - L.Chimenes - 4-56

5 - BULOVA - V.Rocha - 5-56

6 - VITORIOSAMENTE - U.Duarte - 6-56

7 - FREE JULIA - Z.M.Rosa - 7-56

8 - DITADURA - M.Beatriz - 8-56



3º PÁREO - 1.100 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 17h45 - (T-04) - TRIFETA - QUADRIFETA

PICK 7 - BIG EXATA

1 - QUICK DUTCHMAN - E.Cordova 4k - 1-57

2 - MADEIRA NOBRE (A) - E.P.Santos - 2-57

3 - DA-LHE UNIVERSO (L-A) - S.P.Santos - 3-55

4 - DESTAKE BOY (A) - B.Ardiles - 4-57

5 - SENHOR GENTIL - V.Rocha - 5-57

6 - JESSY (A) - Z.M.Rosa - 6-55

7 - CICLISTA (A) - M.C.Santos 4k - 7-55



4º PÁREO - 1.100 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 18h20 - (T-08) - TRIFETA - QUADRIFETA

BIG EXATA - SEGUNDO PICK 3

1 - SANSEI (A) - D.Santana 3k - 1-57

2 - CHORUMELA (A) - Z.M.Rosa - 2-55

3 - ABSOLUTISTA - V.Rocha - 3-55

4 - EL NEGRO (L-A) - B.Ardiles - 4-58

5 - ITACUÃ (L-A) - E.Cordova 4k - 5-54

6 - TARTAN TAM (L1-A1) - B.Marques 3k - 6-58

7 - ESPÁRTACO (L1-A1) - M.C.Santos 4k - 7-52

8 - ROJÃO DOBRADO (A) - M.Beatriz - 8-57



5º PÁREO - 1.300 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 18h50 - (T-10) - TRIFETA - QUADRIFETA

SEGUNDO PICK 3

1 - JURERÊ (A) - M.Beatriz - 1-51

2 - THIS AND THAT (L-A) - L.Chimenes - 2-56

3 - HERR VICTOR (A) - Z.M.Rosa - 3-56

4 - DA-LHE SANTARÉM (L-A) - B.Ardiles - 4-58

5 - DIRECT REASON -R.Araujo - 5-56

6 - TIME TO LOVE (L-A) - J.Fernando - 6-58

7 - DON JUAN FELIPE (A) - E.Cordova 4k - 7-53



6º PÁREO - 1.400 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 19h20 - (T-07) - TRIFETA - QUADRIFETA

1 - CASUAL LIFE (A) - M.C.Santos 4k - 1-55

2 - PECADOR (A) - M.Quintana - 2-56

3 - DOUBLE GATE (L-A) (P1) - B.Marques 3k - 3-58

4 - RAYWAY GLORY (A1) (P1) - D.Santana 3k - 4-56

5 - LONDRINITA (ARG) (A) - Z.M.Rosa - 5-52

6 - BARRA FUNDA (L-A) - B.Ardiles - 6-56

7 - PARDAL FIGHTER (A) - E.Cordova 4k - 7-57



7º PÁREO - 1.300 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 19h55 - (T-01) - TRIFETA - QUADRIFETA

OPEN BETTING

1 - DILUVIO (P1) - M.Quintana - 1-56

2 - VAN HEIGHTS - L.Chimenes - 2-56

3 - CONFIDENTIAL LADY (P2) - Z.M.Rosa - 3-54

4 - BUZUNGA - B.Marques 3k - 4-56

5 - CONTRATO DE RISCO (P2) - Z.M.Rosa - 5-56

6 - CANNONBALL - B.Ardiles - 6-56

7 - LADY GRACE - M.Beatriz - 7-56

8 - COLOSSUS - A.M.Ribeiro - 8-56

9 - GANGSTER - E.P.Santos - 9-56

10- DACOTA (P1) - A.L.Martins - 10-54

11- DESABUSADO - V.Rocha - 11-56

12- DOM VALDO (P1) - M.Quintana - 12-56



8º PÁREO - 1.500 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 20h30 - (T-01) - TRIFETA - QUADRIFETA

PICK 3 FINAL

1 - SELO EMPIRE (P1) - M.Quintana - 1-56

2 - VOW VOW - L.Chimenes - 2-54

3 - TRIUNFO - Z.M.Rosa - 3-56

4 - DURANGO (P2) - M.Beatriz - 4-56

5 - LINHA DOIS (P1) - M.Quintana - 5-54

6 - WHITE GREEN - A.M.Ribeiro - 6-56

7 - ANGICO - E.P.Santos - 7-56

8 - BY BRAZIL - V.Rocha - 8-54

9 - VISIBLE WIND - B.Ardiles - 9-56

10- DOURADO (P2) - C.Martins - 10-56



9º PÁREO - 1.400 METROS

R$ 1.700,00 - 510,00 - 340,00 - 170,00 - 85,00

ÀS 21h - (T-08) - SUPER QUADRIFETA R$ 7.000,00

1 - MY BEST WAY (A) - M.C.Santos 4k - 1-56

2 - BOEMIO ALEGRE (A) - D.Santana 3k - 2-57

3 - BIOLOGISTA (L-A) - A.L.Martins - 3-56

4 - JOHNY FIGHTER (A) - E.Cordova 4k - 4-56

5 - LORD CAPTAIN (L-A) - B.Ardiles - 5-58

6 - GRAN DODGE (L-A) - B.Marques 3k - 6-58

7 - PREGA FOGO (L-A) - R.Araujo - 7-58

8 - DALLE NERGY (A) - M.Quintana - 8-57

9 - BARDOSO FIGHTER (A) - M.Beatriz - 9-57

10- PAULO DE LORENA (L-A) - Z.M.Rosa - 10-56

Gávea, Thiago Fernandes comenta e indica oara as acrreiras de hoje, 05/08

1º Páreo – Vindo para o claiming, Van Delden pode se reabilitar e abrir a reunião. Decreto e Pongo surgem como as principais ameaças ao nosso indicado.

2º Páreo – Energia Combinada já enfrentou provas mais encorpadas, reaparece de lasix pela primeira vez e leva nosso voto. Invicto, mais aguerrido, e o ligeiro Montezuma são rivais.

3º Páreo – A americana Villa Lorenza é o retrospecto da prova e pode voltar a vencer. Zilú pode atropelar a tempo de formar a dupla. Das demais, a ligeira Incorporadora e Itacare.

4 º Páreo - No desafio dos velocistas, uma carreira com nove competidores, destaque para a presença do Tenente Dodge (Dodge), criação do Haras Anderson e propriedade do Stud Palurape, que confirmando suas últimas atuações, tem boa oportunidade para vencer a prova. Direção de H. Fernandes e treinamento para A.Lobo. Vesper Of Love (Crimson Tide), criação do Haras Santa Rita da Serra e propriedade do Stud Santa Rosa de Lima, única fêmea da prova, pode atropelar nos metros decisivos e formar dupla de melhor rateio. Universal Gipsy (American Gipsy), criação do Haras Anderson e propriedade do Stud Alvarenga, surpreendeu com ótima vitória na última e também deve ser lembrado


5º Páreo – Pique Dame vem de duas derrotas incríveis e pode desencabular dessa vez. Glória Azul traz boa campanha para a prova e surge como principal rival. Stray Cat, de lasix pela primeira vez, e Garotadarepublica também devem ser respeitadas.

6º Páreo - No desafio dos milheiros, acreditamos em mais um belo duelo entre o Kito Hope (Shudanz), criação do Haras San Francesco e propriedade do Stud Sergio Barcellos, e o Aye Lad (Gilded Time), criação de Fazenda Mondesir e propriedade da Coudelaria Barcelona, mais aguerrido à milha. Duro entre os dois, mas acreditando que o conduzido do Jean Pierre corra mais acomodado nos metros iniciais dessa vez possa levar a melhor. I.F.Souza é o responsável pela apresentação do nosso indicado. Ta Luv (Gilded Time), criação e propriedade do Haras das Estrelas, volta à Gávea e deve ter ritmo de carreira favorável, sendo forte rival.

7º Páreo – Onegin, animal de boa categoria, retorna à Gávea em companhia que não intimida e pode vencer. Plenário, aliviado no peso, e Bonjour, vindo de derrota de chorar, são outros nomes que se destacam na carreira.

8º Páreo - Na oitava prova, será a vez do Clássico Delegações Turfísticas (L.), onde o ligeiro Talk Show (Wild Event), criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud Dona Lúcia, ostentando ótima forma pode vencer de ponta a ponta na direção do M.Almeida. Treinamento fica à cargo de C.Morgado Neto. Plaza-Toro (Dubai Dust), criação e propriedade do Haras Tributo À Ópera, pode correr mais acomodado dessa vez e deve ser nome forte nos metros decisivos. Scrittore (Dodge), criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud São Pedro do Rio Grande, tem carreira para mais e também ameaça.


9º Páreo – De volta à sua turma, Orfeo pode engrenar na reta a tempo de encerrar a reunião. Alan Black Tie, mesmo vindo do claiming, e o estreante Ray Famous merecem atenção na hora de montar o jogo.

Indicações:

1º Páreo - Van Delden (7) – Decreto (8) – Pongo (1)
2º Páreo - Energia Combinada (6) – Invicto (8) – Montezuma (7)
3º Páreo - Villa Lorenza (2) – Zilú (4) – Incorporadora (5)
4º Páreo - Tenente Dodge (2) – Vesper Of Love (1) – Universal Gipsy (3)
5º Páreo - Pique Dame (5) – Glória Azul (7) – Stray Cat (2)
6º Páreo - Kito Hope (3) – Aye Lad (8) – Ta Luv (10)
7º Páreo - Onegin (9) – Plenário (12) – Bonjour (3)
8º Páreo - Talk Show (3) – Plaza-Toro (4) – Scrittore (5)
9º Páreo - Orfeo (5) – Alan Black Tie (2) – Ray Famous (4)

por Thiago Fernandes

1° dia do Festival do GP Brasil,Arenáticos são as estrelas

Os Clássicos Luiz Gurgel do Amaral Valente – Taça Criação Paranaense (L.), em 1.200 metros, para produtos de 3 anos e mais idade, Breno Caldas – Taça Criação Gaúcha(L.), na milha, também para produtos de 3 anos e mais idade e o Delegações Turfísticas (L.), para produtos de 4 anos e mais idade, todos na pista de areia, são os grandes destaques desta sexta-feira, no Hipódromo da Gávea. Antevéspera do sensacional GP Brasil 2011, a reunião de hoje promete carreiras equilibradas e muita emoção aos turfistas. O início da jornada carioca (9 páreos) está previsto para as 17 horas e 15 minutos.

No desafio dos velocistas, uma carreira com nove competidores, destaque para a presença do Tenente Dodge (Dodge), criação do Haras Anderson e propriedade do Stud Palurape, que confirmando suas últimas atuações, tem boa oportunidade para vencer a prova. Direção de H. Fernandes e treinamento para A.Lobo. Vesper Of Love (Crimson Tide), criação do Haras Santa Rita da Serra e propriedade do Stud Santa Rosa de Lima, única fêmea da prova, pode atropelar nos metros decisivos e formar dupla de melhor rateio. Universal Gipsy (American Gipsy), criação do Haras Anderson e propriedade do Stud Alvarenga, surpreendeu com ótima vitória na última e também deve ser lembrado.

No desafio dos milheiros, acreditamos em mais um belo duelo entre o Kito Hope (Shudanz), criação do Haras San Francesco e propriedade do Stud Sergio Barcellos, e o Aye Lad (Gilded Time), criação de Fazenda Mondesir e propriedade da Coudelaria Barcelona, mais aguerrido à milha. Duro entre os dois, mas acreditando que o conduzido do Jean Pierre corra mais acomodado nos metros iniciais dessa vez possa levar a melhor. I.F.Souza é o responsável pela apresentação do nosso indicado. Ta Luv (Gilded Time), criação e propriedade do Haras das Estrelas, volta à Gávea e deve ter ritmo de carreira favorável, sendo forte rival.

Na oitava prova, será a vez do Clássico Delegações Turfísticas (L.), onde o ligeiro Talk Show (Wild Event), criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud Dona Lúcia, ostentando ótima forma pode vencer de ponta a ponta na direção do M.Almeida. Treinamento fica à cargo de C.Morgado Neto. Plaza-Toro (Dubai Dust), criação e propriedade do Haras Tributo À Ópera, pode correr mais acomodado dessa vez e deve ser nome forte nos metros decisivos. Scrittore (Dodge), criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Stud São Pedro do Rio Grande, tem carreira para mais e também ameaça.

por Thiaho Fernandes

Um raio-x das inscrições para a semana do GP Brasil

As 619 inscrições recebidas pela Comissão de Corridas do JCB para a semana máxima do turfe brasileiro apresentam números interessantes:

- 93 treinadores inscreveram, sendo que destes, 73 estão radicados no turfe carioca e 20 em outros hipódromos.

- Dos treinadores radicados em outros estados, o multicampeão da estatística de treinadores no Paraná, Antenor Menegolo Neto foi o que mais inscreveu, com 5 inscrições, seguido por Antônio Luis Cintra, o Tolú, com 4.

- Dos treinadores com animais nos Centros de Treinamento, destaque para as 49 inscrições do seis vezes vencedor da estatística carioca, Venâncio Nahid (foto), as 31 de Julio Cesar Sampaio, as 28 de Dulcino Guignoni, as 27 de Cosme Morgado Neto e Leonardo José Reis, as 22 de Givanildo Duarte, as 18 de Manoel Renato Lopes e Roberto Solanés, as 15 de Almiro Paim Fº, as 13 de Victor Paim, as 12 de Darci Minetto. Adriano Lobo, Adelcio Menegolo e Carlos Henrique Coutinho anotaram 10 animais.

- Entre os treinadores com animais na Gávea, o líder Jairo Borges foi o que mais inscreveu, anotando 28 animais.

- Anderson Figueiredo dos Santos, Cláudia Cury, Claudio Marcelino Silva, Elidio Pereira Gusso, Eduardo Garcia, Gladston Figueiredo dos Santos Jr., Jorge Alexandre Borioni, Luiz Henrique Vieira, Mário Decki, Mario Gosik, Marcos Vinicius Lanza, Nilson Lima, Nelson Souza, Osvaldo Ulloa Neto, Sergio Dornelles, Sergio Vasco, Victor Lahass, W.G.Tosta, Walfrido Garcia, Walmir Penelas e Zilmar Duarte Guedes inscreveram apenas um animal, cada um, no conjunto de cinco programas.

por Fernando Lopes

Receita do bolo

Apelo dirigido aos dois principais clubes hípicos do Brasil, por Jéssica Dannemann


Revitalização das Vilas Hípicas já!

Receita do bolo

Chamar regularmente páreos específicos para animais alojados nas Vilas Hípicas há pelo menos 60 dias. Isso deve incluir Handicap’s, Provas Especiais e Grandes Prêmios a serem definidos.

Criar dois páreos para estreantes (nova geração) alojados há pelo menos 120 dias nas Vilas Hípicas (Fêmeas e Machos), em data a ser definida. Esse páreo deve ser necessariamente patrocinado e terá que ter uma dotação de R$ 100 mil reais cada um. A Coudelaria Jéssica se compromete (contratualmente) a conseguir (ou arcar com) o patrocínio dos três primeiros anos. A agressividade no valor do prêmio e o corpo (e a alma) do negócio.

Um desses páreos seria denominado de “GP Novos Sócios” justamente para ser também a “estréia” no hipódromo dos novos associados. O primeiro evento deverá inaugurar a entrega sistemática da Carteira dos sócios ingressantes (e dependentes) na Tribuna de Honra regado a um coquetel. Esse evento deve ser repetido quatro vezes por ano. Cada convite será acompanhado de “Vales Apostas” para toda família (nominal e intransferível) com valor a ser definido para ser substituído pela aposta correspondente.

Deve ser feito um convite a todos os associados (antigos e novos) e nesse dia serão sorteados dois sócios e dois cavalos do “GP” (um para cada sócio). Independente de vitória, o que ganhar do outro proporcionará ao sócio vencedor, um prêmio de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

Deveria ser produzido um vídeo institucional para ser enviado a todo quadro social. Esse vídeo mostrará o processo para se tornar um proprietário de cavalo de corrida. O sócio vai aprender como se faz para ter uma farda participando das famosas corridas do Jockey Club Brasileiro, e quem sabe ter o seu cavalo participando do próximo GP Brasil.

No vídeo devem ser apresentadas ainda as vitórias internacionais importantes referentes aos cavalos brasileiros bem como as premiações que fizeram jus.

Os clubes organizam uma estrutura própria para assessorar possíveis interessados agendando encontros, disponibilizando lista de treinadores, páreos de claiming, leilões programados, inscrição do stud na secretaria e tudo que for preciso para agilizar o processo e a vida de um novo turfista.

Será preciso trabalhar para criar um leilão de potros com a chancela dos clubes, não incidindo sobre as arrematações qualquer tipo de taxa. Fazer uma ampla mala direta voltada ao quadro social divulgando e convidando para o evento, com sorteios de prêmios interessantes como um automóvel. (A coudelaria Jéssica se compromete a conseguir o patrocínio).

Revitalizar o Armazém das Vilas Hípicas, reeditando uma “cooperativa” que possa reduzir os custos de vários insumos. Estudar um modelo para que proprietários possam ser avalistas de treinadores, ou aceitando em seu nome rateios mensais correspondentes às despesas de seus animais, o que na pratica significaria dividir em duas fatias o trato, uma para cooperativa, outra para o treinador garantindo liquidez. (A Coudelaria Jéssica se compromete a alojar o mínimo de 25 animais nesse sistema).

Ao invés de “seminários” com a chancela da CODERE para falar de “totalização” de apostas por quem justamente bota a grana dos apostadores no bolso, será preciso organizar um encontro no tatersal para agregar idéias a esse projeto, definindo prazos e etc. Para colocar confeito nesse bolo, é preciso a ajuda de muita gente boa que hoje tem dificuldade até para botar feijão no prato.

Se eu fosse os clubes, começava também a pensar em instituir um prêmio adicional (um bônus) para animais nascidos e criados em seus estados (no Rio deveria ser 100% do prêmio). Vai por mim! Se não revitalizar também os estados como criadores, não teremos cavalos em pouco tempo nem para formar dois programas.

No mais é só esquecer a idéia de JIRICO de querer COBRAR boxe de treinador ou proprietário. Isso é de uma burrice de agredir o mais burro dos homens burros; de uma incompetência cavalar. Os clubes precisam dar o SOFTWARE e os proprietários o HARDWARE. Se Sherlock Holmes fosse vivo ele diria: Elementar meus caros Eduardos!

Há porque a prefeitura disse... O meio ambiente falou... O Cavalo é parte da cidade, como as favelas e os seus contornos; a cidade convive com eles há mais de 100 anos, na sua essência, bosteiam menos que os políticos!

Revitalizar as Vilas Hípicas é garantir o futuro do turfe!

Quem não abraçar essa idéia é porque está pensando em abraçar outras coisas, e os Clubes hípicos não foram feitos para “outras coisas” se não as corridas de cavalo.

No mais é só escolher bem os novos presidentes, sabendo de antemão que o “mercado financeiro” não anda lá produzindo gente tão boa assim para comandar nenhum dos dois clubes que aqui dirijo a minha humilde e dedicada palavra.

Gávea.Indicações e Comentário de Celso Afonso para as carreiras de hoje, 05/08

Foi dada a partida!
05/08/2011 - 10:15:23


Abrindo o meeting do Grande Prêmio Brasil, Jockey Club Brasileiro promove nove provas nesta sexta-feira, sendo três delas Listed Race.

A primeira carreira nobre é o Clássico Luiz Gurgel do Amaral Valente – Taça Criação Paranaense (L.), destinado a produtos de três anos e mais idade. Nove competidores estão inscritos no páreo, quarto do programa, que será disputado em 1.200 metros, pela variante.

Já no sexto páreo, será a vez dos milheiros disputarem o tradicional Clássico Breno Caldas – Taça Criação Gaúcha (L.) na pista de areia. Com as deserções de três corredores, a prova ficou reduzida a nove produtos de três anos e mais idade.

A novidade da programação de sexta é o Clássico Delegações Turfísticas, que vinha sendo disputado as segundas, fechando o meeting, e agora também abrilhantará o começo do festival. O páreo, oitavo da reunião, em 2.100 metros na areia, este ano terá 13 participantes de quatro anos e mais idade.

O primeiro páreo do dia está marcado para as 17h. O Pick 7 começa na terceira prova e o Open Betting, com R$10.000,00 de bonificação, na sétima do programa.

Abaixo as indicações e boa sorte!



1º Páreo: Com ritmo favorável, Decreto é capaz de engrenar sua atropelada e vencer com bom rateio. Pongo é muito veloz, larga pelo menor caminho, vai leve e deve vender caro a derrota. Van Delden despenca de turma e distancia. Prova perigosa.

DECRETO (8) – PONGO (1) – VAN DELDEN (7)



2º Páreo: Energia Combinada é atrasado no páreo, reaparece desenturmado, com Lasix pela primeira vez e pode vencer. Após boa estréia, Invicto volta como rival. San Diego, sempre prometendo para a próxima, a seguir.

ENERGIA COMBINADA (6) – INVICTO (8) – SAN DIEGO (2)



3º Páreo: Aguerrida no percurso, Villa Lorenza retorna a pista de sua vitória e pode emplacar mais uma. Itacare vem chegando perto e fica na expectativa de uma provável briga entre as mais cotadas para chegar entre as primeiras. Incoporadora, com quatro vitórias, e Fantastic Daisy, mais bem colocada na reta grande, ameaçam.

VILLA LORENZA (2) – ITACARE (8) – INCORPORADORA (5)



4º Páreo: Muito corredor, Tenente Dodge é o animal a ser batido no Clássico Luiz Gurgel do Amaral Valente – Taça Criação Paranaense (L.). Universal Gipsy e Jobi surgem como principais adversários do defensor do Stud Palurape.

TENENTE DODGE (2) – UNIVERSAL GIPSY (3) – JOBI (4)



5º Páreo: Retrospecto do páreo, Pique Dame é força destacada. Glória Azul vem enfrentando turmas mais fortes e promete boa exibição. Garotadarepublica é ligeira e deu sorte na baliza.

PIQUE DAME (5) – GLÓRIA AZUL (7) – GAROTODAREPUBLICA (1)



6º Páreo: Aye Lad e Kito Hope parecem à vontade na companhia e prometem mais um belíssimo duelo nos metros decisivos. Ainda que sem o Lasix, Ta Luv tem categoria para surpreender e levar o Clássico Breno Caldas – Taça Criação Gaúcha (L.).

AYE LAD (8) – KITO HOPE (3) – TA LUV (10)



7º Páreo: Amparado por bom retrospecto, Onegin deve chegar brigando pelo primeiro posto. Bonjour vem de ótimo segundo e não pode ficar fora do Open Betting. Plenário, Don Talk e Dodge Trick são outras combinações bem gastas.

ONEGIN (9) – BONJOUR (3) – PLENÁRIO (12)



8º Páreo: Carreira das mais equilibradas, onde Impatare pinta como azar viável. Talk Show está tinindo e deve ser o favorito da prova. Nozze Di Fígaro e Take The Money são ótimos representantes do turfe de Cidade Jardim.

IMPATARE (13) – TALK SHOW (3) – NOZZE DI FIGARO (10)



9º Páreo: Agora em sua turma, Orfeo é nome forte no fecha da reunião. Queen Away vai leve, sai ligeiro, contou com a escolha do V. Borges e merece atenção. Dos demais, Alan Black Tie, pela regularidade, e Ray Famous, pela eficiência de sua equipe.

ORFEO (5) – QUEEN AWAY (3) – ALAN BLACK TIE (2)



Por Celson Afonso –